Publicidade

Estado de Minas

Moradores protestam no Anel Rodoviário pelo segundo dia seguido

Dezenas de pessoas foram para a pista da rodovia em direção a Vitória e fecharam a via por aproximadamente 20 minutos. Longos congestionamentos foram registrados no trecho


postado em 09/01/2018 09:55 / atualizado em 09/01/2018 10:04

Nessa segunda-feira, os moradores fizeram protesto no Anel Rodoviário(foto: Paulo Filgueiras: EM/D.A Press)
Nessa segunda-feira, os moradores fizeram protesto no Anel Rodoviário (foto: Paulo Filgueiras: EM/D.A Press)

Pelo segundo dia consecutivo, moradores fizeram uma manifestação no Anel Rodoviário de Belo Horizonte contra uma reintegração de posse que deve acontecer na Ocupação Vila Esperança ainda em janeiro. Dezenas de pessoas foram para a pista da rodovia em direção a Vitória e fecharam a via por aproximadamente 20 minutos. Longos congestionamentos foram registrados no trecho.


De acordo com a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), o protesto aconteceu no Bairro Betânia, na Região Oeste. Os moradores foram para via 9h20. Depois de uma negociação com os policiais, eles deixaram a via por volta das 9h40. Os manifestantes protestem contra a reintegração de posse que está marcada para 11 de janeiro.


Esse foi o segundo dia de protestos. Nessa segunda-feira, os manifestantes fecharam a rodovia por aproximadamente 50 minutos. O congestionamento devido ao protesto chegou a ultrapassar quatro quilômetros.

De acordo com a Comissão Pastoral da Terra, que defende a causa dos moradores cerca de 140 famílias moram na ocupação há seis anos. Ainda conforme a comissão, todas as famílias que habitam na ocupação não possuem condições financeiras de arcar com aluguel de casas e um despejo sem antes oferecer outras alternativas de moradia para as famílias, "será uma tragédia".


Responsável por impetrar o pedido de reintegração, a Via 040 informou que o terreno, situado acima do pontilhão da linha férrea sob o Anel Rodoviário e Avenida Tereza Cristina, é de propriedade da União. A ação de despejo seria realizada pela Prefeitura de Belo Horizonte, mas uma liminar judicial em favor da Defensoria Pública de Minas Gerais impediu a ação, cabendo à concessionária conduzir o processo de reintegração.


"A Via 040 esclarece que empenhou todos os esforços necessários para desocupar a área localizada no Km 536 do Anel Rodoviário, em linha com o contrato de concessão. Cabe acrescentar que, em momento anterior à adoção de providência judicial por esta concessionária, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da secretaria da Regional Oeste, comunicou a Via 040 que iria conduzir o processo de desocupação do local, mas que foi impedida posteriormente por liminar judicial em favor da Defensoria Pública de Minas Gerais. Ainda assim, com o objetivo primordial de garantir a segurança dos usuários da rodovia e dos próprios ocupantes no referido local, a concessionária decidiu ajuizar o pedido de reintegração e remoção das ocupações irregulares, pedido que foi reconhecido e liminarmente deferido pela Justiça Federal”, informou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade