Publicidade

Estado de Minas

Buscas continuam para encontrar homem que raptou ex-mulher no Barro Preto

Policiais continuam as diligências para tentar encontrar indícios que podem levar até o suspeito


postado em 15/09/2017 17:49

As buscas por um homem de 41 anos que na noite de quarta-feira raptou sua ex-mulher, uma comerciante de 35, e a manteve em cárcere privado por cerca de 12 horas, continua. O crime aconteceu no Barro Preto, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Segundo a Polícia Civil, as investigações seguem em andamento para tentar encontrar indícios do suspeito. Diligências são realizadas por equipes da 3ª Área Integrada de Segurança Pública (Aisp), responsável pelo caso.

As investigações começaram com as análises das câmeras de segurança que flagraram o momento do rapto da garota. Nos vídeos, é possível ver três homens abordando a comerciante. O carro usado no rapto, um Logan prata alugado por um motorista parceiro de aplicativo, foi localizado na manhã de quarta-feira em um posto de combustível em Confins, na Grande BH.

O responsável pelo veículo foi detido e alegou que emprestou o carro ao ex-marido da vítima para que ele pudesse rodar como parceiro do aplicativo. Ele negou que tenha participado do rapto, mas continua sendo investigado.

Em depoimento, segundo informações de fontes policiais, a mulher contou que foi levada para um hotel na Avenida Pedro II, onde foi obrigada a manter relações sexuais com ex-companheiro. Os três homens, que a abordaram quando deixava o trabalho, seguiram no Logan até o hotel, onde ela ficou sozinha com o ex-companheiro.

Ainda, conforme contou em depoimento, a comerciante disse que permaneceu por um período no hotel com o ex-marido. Depois, foi obrigada acompanhá-lo no carro dele para local ignorado. Segundo disse, acredita que ele seguiu por uma rodovia em direção a Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, antes de retornar e deixá-la na casa de uma amiga.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade