Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende gangue do maçarico; veja vídeo

Dois integrantes foram detidos em Sorocaba (SP) pela polícia paulista. O terceiro, em Joinville (SC), pela Civil mineira


postado em 13/09/2017 18:15


Desvendada a gangue do maçarico, responsável por aproximadamente 20 arrombamentos a caixas eletrônicos apenas na Grande Belo Horizonte e outros tantos em São Paulo e na Bahia. O grupo lavava o dinheiro dos furtos na compra, por exemplo, de carros luxuosos. O bando era de Joinville (SC) e atuava fora das fronteiras do estado natal para não levantar suspeitas.

Mas foi lá que a Polícia Civil de Minas prendeu, em cumprimento a mandado expedido pela Justiça, Alex Sinézio da Silva, de 31 anos, apresentado ontem à imprensa. Na casa dele foi apreendido uma BMW avaliada em R$ 70 mil e que teria sido adquirida com dinheiro levado de uma agência na capital mineira.

(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Outros dois integrantes – Edenilson Conink e José Henrique Marcondes – foram detidos, há algumas semanas, enquanto saqueavam uma agência em Sorocaba (SP). A polícia descobriu a identidade dos criminosos ao comparar as imagens das câmeras das agências com fotos do próprio arquivo da corporação. Identificado o trio, constataram que dois já estavam detidos em Sorocaba.

Já o terceiro indivíduo estava solto. Foi encontrado em casa e tentou fugir, mas foi detido nas ruas de Joinville. Os criminosos estudavam bem a agência a ser saqueada. E tinham cuidado em não despertar atenção. Por isso, viajavam de Joinville para outros estados em carros ou aviões. E mandavam via transportadoras os maçaricos e outras ferramentas para a cidade em que iriam agir.

Desta forma não chamariam atenção se fossem parados em blitzes nas estradas. Tampouco nos aeroportos. Já nas cidades, eles ficavam dois dias estudando a região. Decidida as agências a serem surrupiadas, eles agiam sempre contra os caixas eletrônicos do Banco do Brasil e Santander, pois os caixas eletrônicos destas bandeiras têm espessura mais frágil ao maçarico. E sempre no período da manhã.

“O sensor do alarme (dos caixas eletrônicos) é destravado às 6h05. Eles não demoravam mais que 10 minutos para retirar o dinheiro”, contou a delegada Danielle Altaf.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade