Publicidade

Estado de Minas

Força-tarefa contra explosão de caixas eletrônicos em Minas será oficializada em decreto

Fernando Pimentel se mostrou preocupado com poder fogo dos bandidos e também com prejuízos econômicos causados às cidades atacadas pelos criminosos


postado em 08/09/2017 12:17 / atualizado em 08/09/2017 13:28

Governador se reuniu com o secretário de Segurança Pública e com os responsáveis pelas polícias Civil e Militar antes de anunciar o decreto da força-tarefa(foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS)
Governador se reuniu com o secretário de Segurança Pública e com os responsáveis pelas polícias Civil e Militar antes de anunciar o decreto da força-tarefa (foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS)
Deve ser publicado no início da semana que vem um decreto que vai oficialmente organizar o funcionamento de uma força-tarefa com integrantes das forças de segurança pública de Minas Gerais contra os crimes de explosão de caixas eletrônicos e também ataques às agências bancárias.

Segundo o governador Fernando Pimentel (PT) os números de ocorrências em Minas estão diminuindo, porém, a gravidade dos casos e o fato de as cidades menores do interior ficarem muitas vezes sem serviços bancários após os ataques o motivou a tomar essa decisão.

“A gravidade dos ataques aumentou. Os ataque estão sendo feitos agora de forma mais organizada do ponto de vista do crime, com armamento mais pesado. Então, tudo isso chamou a nossa atenção, além do impacto que é muito negativo. A cidade tem um caixa eletrônico e de repente fica sem isso, o movimento econômico na cidade cai substancialmente”, diz Pimentel.

Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) o grupo anunciado pelo governador já trabalhava trocando informações e desenvolvendo estratégias contra as quadrilhas especializadas, mas agora esse trabalho se tornará oficialmente ativo a partir da publicação de um decreto estadual.

CASOS Na sexta-feira passada, criminosos explodiram caixas eletrônicos de duas agências bancárias, em Dores do Indaiá, no Centro-Oeste de Minas Gerais. De acordo com a Polícia Militar, mais de dez homens com armamento de grosso calibre chegaram em duas caminhonetes a uma agência da Caixa Econômica Federal, no Centro da cidade, e explodiram caixas eletrônicos e um cofre da agência. Este foi o segundo ataque em bancos na cidade em menos de dez dias e o terceiro em quatro meses.

VIOLÊNCIA DOS BANDIDOS Em julho deste ano, uma tentativa de assalto às agências do Banco do Brasil e do Sicoob terminou com um policial e um vigilante mortos em Santa Margarida, na Zona da Mata de Minas Gerais, a 257 quilômetros de Belo Horizonte. A ação dos bandidos foi flagrada por câmeras de segurança e também por vídeos dos próprios moradores.

O caso chocou a população por conta da crueldade dos ladrões, que mataram o cabo Marcos Marques da Silva, de 36 anos, após cruzarem com o militar em uma esquina da cidade e também o vigilante do Banco do Brasil, Leonardo José Mendes, 53, que tentou se render com a aproximação dos bandidos, mas foi atingido com um tiro na cabeça.Seis pessoas foram presas com envolvimento no fato, sendo quatro em seguida aos ataques e outros dois em desdobramentos das intestigações pela Polícia Civil. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade