Publicidade

Estado de Minas

Kalil aciona Justiça para administrar Anel, classifica mortes como 'assassinato' e pede responsabilização criminal de autoridades

Município entrará com ação contra União, diretor do Dnit e concessionária da rodovia na próxima segunda-feira e quer, entre outras coisas, que os recursos para manutenção da via venham para os cofres da PBH


postado em 06/09/2017 19:59 / atualizado em 06/09/2017 21:45

(foto: Reprodução/Internet )
(foto: Reprodução/Internet )

O prefeito Alexandre Kalil (PHS) informou na noite desta quarta-feira que vai acionar a Justiça na próxima segunda-feira para que a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) assuma a administração do Anel Rodoviário da capital. No final da tarde de hoje mais um acidente envolvendo uma carreta, seis carros e uma bicicleta deixou três mortos e vários feridos. Em sua conta no Twitter, Kalil classificou as mortes como "assassinato".

Na ação, a PBH ainda pedirá a responsabilização do criminal do diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), por negligência.

De acordo com a assessoria de imprensa da PBH, Kalil determinou a Procuradoria-Geral do município represente ainda contra a União e a concessionária Via 040, que administra trecho da rodovia onde se concentram a maior parte dos acidentes mais graves. Na ação, o município vai pedir que sejam transferidos para a PBH, além da administração, os recursos destinados à manutenção da via.

Em junho, a Comissão de Legislação de Justiça (CLJ) da Câmara Municipal deu nesta terça-feira parecer favorável ao Projeto de Lei 251/17, em primeiro turno, que autoriza o Executivo assumir a administração do Anel Rodoviário de Belo Horizonte, atualmente sob gestão do poder público federal, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Em 6 de abril último, um dia depois de mais um grave acidente na via, o prefeito Alexandre Kalil (PHS) afirmou que está disposto assumir a gestão do Anel, desde que a autarquia disponibilize recursos financeiros para a requalificação viária da rodovia.
“Não quer dizer que aqui tem ninguém mais inteligente que ninguém. O que nós vamos fazer é tentar arrumar, porque do jeito que está nós já temos certeza que está errado. Então, (já) que está absolutamente errado, matando, machucando todo dia duas três vezes por semana, pelo menos nós poderíamos fazer uma tentativa de melhorar o caos que é, porque ali não é o Anel, ali já é uma avenida urbana", disse à época.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade