Publicidade

Estado de Minas

Capital mineira volta a ter a maior temperatura do inverno, com máxima de 32,7 ºC

Marca mais alta até o momento era de 32,1ºC, registrada em 10 de agosto. Na quarta-feira BH teve o dia mais seco do ano, com umidade relativa do ar em 13%


postado em 31/08/2017 15:47 / atualizado em 31/08/2017 23:04

(foto: Jair Amaral: EM/DA Press)
(foto: Jair Amaral: EM/DA Press)
A capital mineira teve um dia de verão em pleno inverno. A temperatura em Belo Horizonte atingiu 32,7º C na Pampulha na tarde desta quinta-feira, a maior marca registrada na estação duante este ano. Segundo segundo o meteorologista Claudemir Félix, do Tempo Clima PUC Minas, a marca mais alta até então era de 32,1ºC, registrada em 10 de agosto.

"A previsão para amanhã é de uma pequena queda na temperatura. Uma massa de ar frio que está vindo do Sul do Brasil deve deixar o clima mais ameno nos próximos dias. As mínimas para o fim de semana devem ficar entre 13° e 12ºC", explicou. Na manhã desta quinta, a mínima registrada nos termômetros foi de 16ºC, por volta das 7h.

Mas a maior preocupação é com a baixa umidade relativa do ar. Ontem, a cidade teve o dia mais seco de 2017, com o índice atingindo 13%, o que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), configura estado de alerta. Para se ter ideia, no deserto a umidade fica em 12%. Nesta quinta-feira, a umidade relativa do ar ficou em torno de 20%.

Sem registro de chuva há 79 dias, a capital mineira segue sem previsão de precipitações para os próximos dias, segundo o especialista.

Cuidados

O meteorologista Heriberto dos Anjos alertou sobre os cuidados que a população precisa ter com o clima seco. “Hidratação é mais que recomendável. É importante tomar cuidados, com aplicação de soro fisiológico nas narinas e olhos, além de evitar fazer atividades físicas entre 10h e 16h. Às vezes as pessoas não dão crédito para esses cuidados, mas a situação é séria, de secura mesmo.”

Segundo o pneumologista Flávio Mendonça, os riscos de doenças relacionadas à estação seca são maiores em crianças, idosos e pessoas com algum tipo de doença de base, como asma, bronquite e outras patologias respiratórias. A prevenção pode ocorrer de maneira simples. De acordo com ele, a hidratação oral é a medida mais fácil e eficaz. “Uma garrafa de água na mesa do trabalho, por exemplo, pode ajudar na mudança de hábito”, aconselha. (Com Simon Nascimento*)

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade