Publicidade

Estado de Minas

Polícia investiga morte de adolescente de 16 anos durante briga em BH

Segundo a polícia, ela e outra jovem de 19 anos discutiram e partiram par agressão física. Causa da morte ainda não foi confirmada


postado em 31/08/2017 10:45

A Polícia Civil começa a investigar a causa da morte de uma adolescente de 16 anos ocorrida nessa quarta-feira no Bairro Maria Goretti, na Região Nordeste de Belo Horizonte. Segundo a Polícia Militar (PM), ela se envolveu em uma briga pela manhã. Uma jovem de 19 anos, que morava com ela, será investigada.

Policiais militares registraram o caso na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Nordeste, onde a vítima era socorrida. Ele foram informados pela equipe médica de plantão que M.A.B.I. estava em parada cardiorrespiratória. Apesar de não ter ferimentos aparentes, ela apresentava sangramento no nariz e na boca.

A suspeita, que tem 19 anos, contou que ela haviam discutido anteontem. Depois disso, a adolescente passou a noite na rua. Na manhã seguinte, ela voltou até a casa da jovem, com o namorado, e começaram a conversar. O diálogo acabou se transformando em uma nova discussão, desta vez com agressões físicas.

A mais velha disse que houve agressões mútuas e, em determinado momento, ela bateu a cabeça e caiu no chão. Logo em seguida, M.A. caiu sobre o corpo dela, já desmaiada. Eles providenciaram socorro até a UPA.

Ainda segundo a PM, o namorado da vítima disse não ter visto agressões mais graves naquela manhã, e que não sabia explicar a causa da morte. O pai da adolescente também esteve no pronto-atendimento e disse que só soube do caso quando foi chamado até a residência da jovem a ajudou no socorro da vítima. Ele também confirmou que a filha não dormiu em casa. Conforme a PM, o pai e o namora do de M.A. disseram que ela era usuária de maconha, loló e cocaína.

De acordo com a Polícia Civil, a adolescente morreu ontem no hospital. O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios Leste. Ainda de acordo com a polícia, como durante o plantão a causa da morte da menor não havia sido confirmada, a suspeita não foi presa em flagrante, mas será alvo de investigação. O laudo da perícia deve ficar pronto em 30 dias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade