[an error occurred while processing this directive] Polícia prende homem que abusou sexualmente da própria filha em Varzelândia - Gerais - Estado de Minas
Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende homem que abusou sexualmente da própria filha em Varzelândia

Pai da criança ainda agrediu outro filho antes de ser preso em um trabalho conjunto das polícias Civil e Militar na cidade do Norte de Minas


postado em 29/07/2017 14:24 / atualizado em 29/07/2017 14:36

Pai das duas crianças que foram vítimas da violência foi preso por policiais civis e militares(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Pai das duas crianças que foram vítimas da violência foi preso por policiais civis e militares (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Está preso à disposição da Justiça o homem de 38 anos que tentou abusar sexualmente da própria filha, de apenas nove anos, e agrediu o filho de 11 em Varzelândia, no Norte de Minas.

A prisão foi cumprida em uma operação desencadeada pelas polícias Civil e Militar. De acordo com o delegado Fernando Santos Elias, a mãe da criança estuda no período noturno, momento em que o pai aproveitava a ausência da companheira para passar a mão nas partes íntimas da garota.

As investigações da Polícia Civil mostraram que, desconfiada, a mãe alertou o filho de 11 anos que ficasse atento às atitudes do pai enquanto ela estivesse fora. Na última terça-feira, o fato voltou a se repetir. Dessa vez, o pai ordenou que o filho fosse dormir, mas a criança não obedeceu e acabou apanhando com uma chinelada no peito e outra no rosto.

As agressões fizeram com que o menino fosse para o andar de cima da casa, deixando o pai livre para novamente tentar acariciar as partes íntimas da filha. A criança começou a chorar e homem de 38 anos mandou que ela ficasse junto do irmão.

Quando a mãe chegou em casa, ela questionou o companheiro, que a expulsou de casa junto com os filhos. A família foi para um hotel custeado pela Prefeitura de Varzelândia e o homem foi preso perto de um bar, com sintomas de embriaguez. A prisão possibilitou o retorno da família para casa e o Conselho Tutelar acompanha o caso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade