Publicidade

Estado de Minas

Kalil diz que Belo Horizonte fez "o maior carnaval de rua do país"

Prefeito da capital e secretários do Executivo apresentam balanço do carnaval de Belo Horizonte


postado em 03/03/2017 11:28 / atualizado em 03/03/2017 13:13

(foto: João Henrique do Vale/EM/DA Press)
(foto: João Henrique do Vale/EM/DA Press)
"Não tenho dúvidas que fizemos o maior carnaval de rua do país".  Essas foram as usadas palavras do prefeito Alexandre Kalil (PHS) para falar da maior festa da história de Belo Horizonte. Os dados foram divulgados na amanhã desta sexta-feira no salão nobre da Prefeitura e conta com a presença de todos os secretários. A movimentação financeira durante o evento pode chegar a R$ 1 bilhão, segundo estimativa da Belotur.

Segundo Kalil, 5 mil pessoas participaram da organização do carnaval,  que atraiu 500 mil turistas, 30% a mais do que no ano passado. Eles curtiram 350 blocos e 416 desfiles. A movimentação financeira no período foi de R$ 514 milhões, mas a PBH estima que o valor pode chegar a R$ 1 bilhão, já que na próxima semana será divulgado um novo balanço feito com base em um novo levantamento.

Deacordo com a Belotur, foram registrados 32% de aumento nas viagens do Move. O metrô, que teve o horário de circulação estendido até as 2h em alguns dias, foi usado por 8 mil pessoas. Durante a festa, foram recolhidas 840 toneladas de lixo. No ano passado foram 379 toneladas. O prefeito Alexandre Kalil elogiou o trabalho dos garis da capital, foram 600 profissionais nas ruas. A Belotur também informou que houve um aumento de 19% da ocupação nos hotéis e de 20% na clientela de bares e restaurantes.

O carnaval de Belo Horizonte foi comemorado pelos órgãos da prefeitura. Para o presidente da Belotur, Aluizer Malab, o resultado é o trabalho de integração e organização que foi feito para o evento. “Nosso bloco foi para a rua e passou com muito sucesso”, disse. “Orgulho de ter participado deste carnaval. Tivemos repercussão local, estadual, nacional e internacional”, comemorou Malab.

Segurança


O secretário Municipal de Segurança Patrimonial, Cláudio Beato, ressaltou a queda na criminalidade em Minas Gerais. “Essa recessão foi puxada por Belo Horizonte, que teve queda de 45% na violência”, afirmou. Dados apresentados pelo secretário mostra que houve queda 42,91% nos crimes violentos na capital mineira, 41,70% nos roubos, e 78,57% nos homicídios. Um dos motivos, segundo o secretário, foi o trabalho de inteligência e integração de vários setores de segurança pública e trânsito. “Os homicídios caíram a quase zero. Localizamos as manchas criminais em BH e reforçamos a segurança”, explicou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade