Publicidade

Estado de Minas

Padre é preso suspeito de roubo de peças sacras e exploração de menores

Religioso e outros três homens foram detidos durante operação conjunta da PM com o Ministério Público na Zona da Mata


postado em 23/02/2017 11:12 / atualizado em 23/02/2017 11:25

Várias peças sacras foram apreendidas na casa do religioso, segundo a polícia(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Várias peças sacras foram apreendidas na casa do religioso, segundo a polícia (foto: Polícia Militar/Divulgação)
Uma operação conjunta da Polícia Militar com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), terminou com a prisão de quatro pessoas suspeitas de envolvimento em roubo, receptação e venda de peças sacras. Entre os detidos está um padre de uma paróquia da cidade de Oratórios, na Zona da Mata. Segundo a Polícia Militar de Ponte Nova, responsável pela região, ele também é suspeito de pedofilia.

Os suspeitos foram localizados nessa quarta-feira durante o cumprimento dos mandados de prisão da Operação Profeta. De acordo com a Polícia Militar (PM), a ação foi desencadeada após denúncias de populares informando que o padre de Oratorios estaria pedindo muito dinheiro para os fiéis, mas a população não via as doações sendo aplicadas na igreja.

O Ministério Público começou a investigar o caso. Os trabalhos levaram dois meses. Segundo a PM, durante o período, foram obtidas provas de que o religioso estaria envolvido na rede criminosa, além de estar envolvido com exploração sexual de menores.

Ontem, foram cumpridos mandados em Oratórios,  Matipó, Rio Casca e Belo Horizonte.  Foram apreendidas imagens sacras, peças de prata e uma quantia em dinheiro. A Polícia Militar também informou que na casa do padre também foram recolhidas câmeras, pendrive, e outros produtos de mídia que teriam imagens comprometedoras e  serão analisados. Entre os detidos estão um advogado e um homem que trabalhava com o padre. Conforme a PM, a prisão dos envolvidos foi decretada por um juiz da região.
Algumas das peças apreendidas já estavam com etiquetas de preço(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Algumas das peças apreendidas já estavam com etiquetas de preço (foto: Polícia Militar/Divulgação)

No fim da noite de quarta-feira, a Arquidiocese de Mariana divulgou uma nota sobre a prisão do padre, “motivada por acusações de ordem administrativa e moral”. De acordo com a Arquidiocese, o sacerdote está preso no Complexo Penitenciário de Ponte Nova.

“Por medida cautelar, a Arquidiocese de Mariana decidiu afastá-lo do exercício do ministério, enquanto aguarda o resultado da apuração dos fatos e a sentença judicial no foro civil e no foro eclesiástico”, explica a Igreja. “A Arquidiocese de Mariana está disposta a colaborar com a Justiça em tudo o que for necessário para a elucidação dos fatos”. A Arquidiocese de Mariana também diz que lamenta os fatos, que “escandalizam a comunidade cristã e geram desencanto e repúdio”. 

Mídias recolhidas no imóvel do religioso serão analisadas, de acordo com a PM(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Mídias recolhidas no imóvel do religioso serão analisadas, de acordo com a PM (foto: Polícia Militar/Divulgação)
 


Publicidade