Publicidade

Estado de Minas

Represa do Rio Manso chega a volume alcançado pela última vez há quase dois anos

Oferta de água com captação direta no Rio Paraopeba desde dezembro possibilitou poupança do reservatório. Chuvas de junho também ajudam no aumento de água armazenada


postado em 07/06/2016 12:29

Maior represa do Sistema Paraopeba, reservatório do Rio Manso chegou a 28% de sua capacidade. Recuperação começou em dezembro do ano passado e hoje atinge 76%(foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS - 27/01/2016)
Maior represa do Sistema Paraopeba, reservatório do Rio Manso chegou a 28% de sua capacidade. Recuperação começou em dezembro do ano passado e hoje atinge 76% (foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS - 27/01/2016)
A combinação entre as chuvas fora de época de junho com a estratégia que tem sido usada pela Copasa no abastecimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte levou o reservatório do Rio Manso, maior represa do Sistema Paraopeba, a romper a barreira dos 75% de água acumulada. A última vez que isso aconteceu foi em 1º de julho de 2014, há quase dois anos.

Os dados da Copasa mostram que as chuvas impulsionaram o reservatório a chegar a 76% nesta terça-feira. A situação é completamente diferente do período mais crítico enfrentado pelo manancial, que chegou a 28,7% de água em 1º de dezembro de 2015. Naquela ocasião, a seca tinha castigado os recursos hídricos ao longo de todo o ano passado e ainda faltava 20 dias para a Copasa inaugurar a nova captação emergencial no Rio Paraopeba, em Brumadinho, que afastou o risco de racionamento na Grande BH para os próximos 20 anos.

Desta data em diante, com a nova disponibilidade de água, a Copasa conseguiu poupar o sistema convencional e o volume tanto do reservatório do Rio Manso quanto das represas de Serra Azul e Vargem das Flores foram subindo. No último sábado, impulsionado também pelas chuvas fora de temporada, o reservatório do Rio Mando rompeu uma barreira que não alcançava há quase dois anos.

Segundo a Copasa, hoje, Vargem das Flores registra 47,1%, Serra Azul 34,2% e Rio Manso 76%. O Sistema Paraopeba, que é o conjunto das três, está com 58,6%. No Rio Manso, por exemplo, já choveu em junho 53 milímetros, 292% a mais do que os 13,5 milímetros de média histórica registrada no mês. Em Vargem das Flores, os 44 mm que já choveram em junho são 430% mais do que os 8,3 mm esperados para o mês. Já na represa de Serra Azul foram 60 mm este mês, 669% acima da média histórica de 7,8 mm.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade