UAI
Publicidade

Estado de Minas

Grupo invade banco na Grande BH, arromba caixas eletrônicos e foge com cerca de R$ 1 mi

Suspeita é de que o crime tenha ocorrido entre a noite de domingo e a madrugada desta segunda-feira. Polícia Militar diz que roubo foi cometido por 'profissionais'


postado em 11/04/2016 15:33 / atualizado em 11/04/2016 22:14

A polícia está à procura de criminosos que cometeram um roubo milionário em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A quadrilha invadiu uma agência bancária no Bairro Industrial e arrombou 12 caixas eletrônicos. O prejuízo estimado pelos funcionários do banco e repassado para a Polícia Militar (PM) foi de aproximadamente R$ 1 milhão. A suspeita é de que o crime tenha ocorrido entre a noite de domingo e a madrugada desta segunda-feira. O Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp) da Polícia Civil já investiga o caso.

A Polícia Militar foi acionada na manhã desta segunda-feira depois que funcionários perceberam o roubo após abrirem a agência. “Quando chegaram, estava tudo normal, porém, duas máquinas não funcionavam. Eles pensaram que bastaria acionar o sistema para que os terminais voltassem, mas não foi o que aconteceu”, explicou o sargento Wagner Dias Ferreira.

Os funcionários começaram a procurar pelo problema nas máquinas e acessaram uma sala que fica aos fundos dos terminais. Lá, encontraram os indícios do crime. “Foram feitos furos atrás das máquinas com uma furadeira. Os buracos foram no local exato que possibilita abrir as máquinas, o que leva a crer que são profissionais”, afirmou Ferreira. Ao todo, 12 terminais foram arrombados.

Os criminosos tiveram acesso ao banco por meio de um estabelecimento de feira shop que existe ao lado do imóvel. Segundo a PM, eles entraram no centro de compras e quebraram parte do muro que o separa da agência. Uma marreta usada na ação foi apreendida. Ainda não há informações se o circuito interno de segurança flagrou a ação. “Todas as câmeras foram viradas pelos criminosos. Não tivemos acesso aos computadores que armazenam as imagens. Eles ficaram a cargo da perícia da Polícia Civil”, comenta.

O gerente da agência, segundo a PM, informou que o prejuízo é estimado entre R$ 900 mil e R$ 1 milhão. Equipes do Deoesp estiveram no local e fizeram os primeiros levantamentos. Até a publicação desta reportagem, nenhum suspeito foi preso ou dinheiro apreendido.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade