Publicidade

Estado de Minas

Publicado decreto que cria força-tarefa para avaliar efeitos de rompimento de barragem

Grupo composto por representantes do estado e prefeituras de municípios atingidos vai centralizar levantamento de danos e propor medidas restauradoras ao longo da Bacia do Rio Doce


postado em 21/11/2015 14:27

Ver galeria . 4 Fotos Rejeitos das barragens de Mariana chegam a usina em Santa Cruz do EscalvadoReprodução internet
Rejeitos das barragens de Mariana chegam a usina em Santa Cruz do Escalvado (foto: Reprodução internet )

Foi publicado neste sábado, no diário oficial Minas Gerais, o Decreto nº 46.892, que institui a força-tarefa que vai avaliar os efeitos e desdobramentos do rompimento da barragem da mineradora Samarco, em 5 de novembro, no subdistrito de Bento Rodrigues, em Mariana.
Ver galeria . 66 Fotos Imagens exclusivas do Estado de Minas mostram os efeitos provocados pela enxurrada de lama que invadiu Bento Rodrigues no início de novembro. Pouco mais de uma semana depois da tragédia, o lugar se tornou uma 'cidade fantasma'. Detalhes registrados pela equipe do EM mostram que onde antes existiam casas, escola e comércio, restam apenas os escombros cobertos pelo barroRodrigo Clemente/EM/D.A.Press
Imagens exclusivas do Estado de Minas mostram os efeitos provocados pela enxurrada de lama que invadiu Bento Rodrigues no início de novembro. Pouco mais de uma semana depois da tragédia, o lugar se tornou uma 'cidade fantasma'. Detalhes registrados pela equipe do EM mostram que onde antes existiam casas, escola e comércio, restam apenas os escombros cobertos pelo barro (foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A.Press )

Os trabalhos reunirão representantes do estado e dos municípios afetados. O grupo será coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Política Urbana e Gestão Metropolitana (Sedru) do governo estadual.

Compõem ainda o grupo a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, a Advocacia Geral do Estado, a Copasa, o Instituto Mineiro de Gestão de Águas (Igam) e a Cemig. Também farão parte da força-tarefa os prefeitos de Mariana, Governador Valadares, Ipatinga, Rio Doce, Belo Oriente e Tumiritinga. Outros prefeitos de municípios atingidos poderão ser convidados, se necessário.

Competirá ao grupo fazer levantamento de dados, emitir relatórios, apresentar conclusões e propor medidas corretivas e restauradoras acerca dos danos humanos, ambientais e materiais decorrentes do desastre em Mariana. De acordo com o decreto, a força-tarefa tem 60 dias para apresentar o relatório final ao governador Fernando Pimentel.

“A proposta do governador é centralizar as demandas e evitar a fragmentação de iniciativas e ações que poderiam enfraquecer o efeito das medidas”, afirma o secretário Tadeu Martins Leite, da Sedru. Tadeu Martins Leite explica que a comissão vai trabalhar em conjunto com os 35 municípios da bacia na avaliação dos danos, no levantamento das perdas econômicas, sociais e ambientais e agir de maneira coordenada na proposição de ações para a recuperação do Rio Doce. A primeira reunião ocorrerá na próxima semana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade