Publicidade

Estado de Minas

Trecho de rio em MG onde pescador encontrou destroços de avião é isolado para investigação

Equipes do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III) ficarão responsável pelas apurações


postado em 13/10/2015 17:18 / atualizado em 13/10/2015 20:59

Equipes do Corpo de Bombeiros isolaram o local onde estão os destroços(foto: Régis Alves)
Equipes do Corpo de Bombeiros isolaram o local onde estão os destroços (foto: Régis Alves)

Equipes do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III) vão chegar a Governador Valadares, na Região do Rio Doce, nesta terça-feira para iniciar a investigação sobre supostas peças de um avião encontradas dentro do Rio Doce. O material foi visto por um pescador que acionou o Corpo de Bombeiros. O local está isolado para os trabalhos de apuração. As peças podem ser de avião desaparecido há quatro anos.

O encontro das supostas peças mobilizaram os bombeiros da cidade. Por causa do nível baixo do rio, um pescador que passava pelo local viu parte da aeronave submersa, no trecho que fica próximo à Rua João Dias Duarte, no Bairro São Paulo. Os militares foram para o local e confirmaram que o material pertence a uma aeronave, mas ainda não foi possível identificar o prefixo.

No fim da tarde, os militares fizeram o isolamento da área para preservar o local. Uma viatura da Polícia Militar (PM) vai ficar de prontidão para evitar qualquer interferência. A Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou que uma equipe saiu do Rio de Janeiro em direção a Governador Valadares para investigar o caso.

A suspeita era de que as peças pertenciam a um monomotor que se acidentou há quatro anos. A aeronave teve uma pane seca durante o voo entre Nanuque e Governador Valadares. Em entrevista à TV Alterosa na época, o piloto disse que fez um pouso forçado no rio para evitar uma tragédia. Os bombeiros foram acionados pelo controle de voo do aeroporto da cidade e conseguiram resgatar o piloto sem ferimentos.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) chegou a afirmar, mais cedo, que as peças não eram da aeronave. A investigação do acidente com o avião de matrícula PT-ITI ocorrido em 24 de fevereiro de 2011 já foi concluída. Na época, segundo o Cenipa, a aeronave ficou submersa, sendo encontrada e resgatada no dia 1º de setembro de 2012.

Mais tarde, o Cenipa corrigiu a informação dizendo que devido a novas informações colhidas no local, será feito o cruzamento de informações e dados para confirmar se o avião é o mesmo envolvido em acidente ocorrido em 2011.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade