Publicidade

Estado de Minas

Minas está longe de atingir meta contra Poliomelite; campanha se encerra no fim do mês

Até o momento, quase 80 mil crianças receberam a dose da vacina. Objetivo no início da campanha era de imunizar mais de um milhão


postado em 21/08/2015 17:34 / atualizado em 21/08/2015 17:42

Vacina protege contra os três sorotipos do poliovírus 1, 2 e 3. A eficácia da imunização é em torno de 90% a 95%(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Vacina protege contra os três sorotipos do poliovírus 1, 2 e 3. A eficácia da imunização é em torno de 90% a 95% (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Minas Gerais ainda está longe de atingir a meta de vacinação contra a Poliomelite em 2015. De acordo com balanço da Secretaria Estadual de Saúde divulgado nesta sexta-feira, até o momento foram aplicadas 78.647 doses da vacina. A campanha para imunizar crianças entre seis meses e quatro anos de idade teve início no último sábado e vai até o dia 31 de agosto. Conforme o Ministério da Saúde informou na semana passada, o estado teria que vacinar 1,1 milhão de crianças.

Apesar da pólio estar erradicada no país desde 1989, o vírus ainda circula em países da África e Ásia. Nos dados disponíveis no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações até o dia 20 de agosto, a faixa etária com maior percentual de doses aplicadas, 17.373, é de crianças de um ano.

Para vacinar, é preciso ir a um Posto de Saúde do SUS e levar a Carteira de Vacinação da criança. Assim, o profissional de saúde verificará também se o calendário de imunização está em dia. Mesmo os pais ou responsáveis que não puderem levar a carteirinha, poderão vacinar a criança sob a prerrogativa de fazer outro cartão. O objetivo é imunizar 95% dos pequenos que estão dentro da faixa etária da campanha, mantendo o país livre da doença. Nos municípios da SRS-BH, espera-se imunizar 301.541 crianças.

A vacina protege contra os três sorotipos do poliovírus 1, 2 e 3. A eficácia da imunização é em torno de 90% a 95%. Ela é recomendada mesmo para as crianças que estejam com tosse, gripe, coriza, rinite ou diarreia. Para crianças com infecções agudas, com febre acima de 38ºC ou com hipersensibilidade a algum componente da vacina, o Ministério da Saúde recomenda aos pais que consultem um médico para avaliar se a vacina deve ser aplicada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade