UAI
Publicidade

Estado de Minas

MPF denuncia 27 por tráfico internacional de drogas; três são mineiros de Uberlândia

Quatro bolivianos estão foragidos e 23 brasileiros estão presos preventivamente desde 25 de setembro


12/12/2014 18:26

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou 27 pessoas – quatro bolivianos e 23 brasileiros – pelos crimes de tráfico internacional de drogas, associação com o tráfico e organização criminosa. Três acusados são mineiros, de Uberlândia, e estão presos preventivamente desde o dia 25 de setembro. Os irmãos Adalto e Cleyton Martins Ferreira e o doleiro Júlio César Santos são suspeitos de liderar a organização na região do Triângulo Mineiro.

Segundo a denúncia do MPF, embora se atribua o comando geral da organização ao boliviano Rolin Gonzalo Parada Gutierrez, principal fornecedor da cocaína, o mineiro Adalto Martins Ferreira era membro forte na organização, responsável pela parte logística, que estocava e distribuía as drogas. Já Júlio César Santos gerenciava o núcleo financeiro, responsável pelo câmbio e fornecimento de dólares à organização.

Os quatro bolivianos estão foragidos. Já os brasileiros, de quatro estados brasileiros (Minas Gerais, Goiás, Mato Groso, Mato Grosso do Sul e São Paulo), foram detidos no dia 25 de setembro, na Operação Navajo, da Polícia Federal.

As investigações tiveram início a partir da atuação dos irmãos mineiros no tráfico de drogas em Uberlândia. O monitoramento das atividades da dupla possibilitou a descoberta de um grandioso esquema de tráfico internacional praticado por meio de pequenas aeronaves que traziam a cocaína da Bolívia e pousavam clandestinamente em pistas rurais situadas no Triângulo Mineiro e no Sul de Goiás.

Depois de entrar em território nacional, a droga era transportada a grandes traficantes sediados principalmente no estado de São Paulo. Um dos criminosos era José Severino da Silva, preso durante a Operação Athos, que desmantelou um esquema de tráfico internacional de entorpecentes em Juiz de Fora. Outro destinatário das drogas era José de Almeida Santana, o Pedro Bó, conhecido da polícia brasileira por ter sido um dos mentores do assalto ao Banco Central de Fortaleza, em 2005. Tanto Severino quanto Santana são membros do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Em aproximadamente um ano de investigação, mais de duas toneladas e meia de cocaína foram apreendidas, com a prisão de 22 traficantes, sendo 14 em flagrante.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade