Publicidade

Estado de Minas

Minas tem alta no número de roubos e queda nos crimes contra a vida em 2014

O índice dos sete primeiros meses deste ano foram divulgados pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). Eles foram comparados com o mesmo período de 2013


postado em 21/08/2014 18:15 / atualizado em 21/08/2014 18:25

Enquanto os registros de crimes contra a vida caíram em Minas Gerais nos primeiros sete meses deste ano em comparação com 2013, os índices de criminalidade contra o patrimônio cresceram. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). Em todo o Estado, houve a diminuição 1,42% nos casos de homicídios e aumento de 24,37% nos roubos consumados.

Nos sete primeiros meses de 2013, foram registrados 2.396 casos e assassinatos contra 2.362 deste ano. A queda também ocorreu no crime de estupro consumado e tentado. A diminuição foi de 20,11% e 8,36%, respectivamente. Dos crimes contra a vida, apenas as ocorrências de homicídio tentado tiveram alta de 2,42%.

O desafio do Estado é contra os crimes contra o patrimônio. Ao avaliar os números divulgados pelas Seds, o patamar muda completamente. Os índices sofreram aumento ou continuaram estáveis nos sete primeiros meses. O maior aumento foi no roubo consumado. Em 2013, foram 42.354 casos, contra 52.674 deste ano.

As estratégias para tentar frear o número de roubos devem entrar em ação até em 2015. De acordo com a Seds, serão investidos R$ 909 milhões em segurança, recurso previsto no Plano Estadual de Defesa Social, até o início do ano que vem. Uma das medidas

Os casos de sequestro e cárcere privado também apresentou aumento de 13,27%. Foram registrados 187 ocorrências em 2013 e nos primeiros sete meses de 2014, 212. O crime de extorsão mediante a sequestro ficaram estáveis, com 71 casos.

Belo Horizonte

A capital mineira também registrou queda nos índices dos crimes contra a vida. Destaque para o estupor tentado, com diminuição de 30,65%. No crime de roubo consumado o aumento em BH foi de 25,22 %, passando de 15.854 entre janeiro e julho de 2013, contra 19.853 do mesmo período deste ano.


Publicidade