UAI
Publicidade

Estado de Minas

Prédio onde mora promotor de Justiça é alvo de tiros no Bairro Buritis

Promotor já foi alvo de outros ataques, mas a motivação dos tiros nesta quarta-feira ainda não foram esclarecidas. As câmeras do circuito interno do prédio registram o momento em que um homem de moletom dispara na fachada de vidro do prédio


postado em 19/06/2014 08:35 / atualizado em 14/06/2016 08:54

Fachada de vidro foi atingida pelos tiros na madrugada desta quinta(foto: Jair Amaral/EM DA Press)
Fachada de vidro foi atingida pelos tiros na madrugada desta quinta (foto: Jair Amaral/EM DA Press)

O edifício onde reside o promotor de Justiça André Luís Garcia de Pinho, no Bairro Buritis, Região Oeste de Belo Horizonte, foi alvo de um atentando no fim da noite dessa quarta-feira. Um homem, ainda não identificado, passou pela Rua Ernani Agrícola, onde fica o prédio, e atirou contra o vidro da fachada.

De acordo com a Polícia Militar (PM), por volta de 22h40, o porteiro do residencial acionou a corporação porque ouviu o barulho de três tiros. O funcionário viu o vidro da portaria estilhaçado e aguardou a chegada da polícia. As câmeras do circuito interno do prédio registram o momento em que um homem de moletom – usando o capuz do agasalho – saca a arma e dispara na direção do imóvel.

A motivação do crime é desconhecida e o atirador não foi localizado, mesmo depois de buscas feita por militares na região.

André Pinho é da Promotoria de Combate ao Crime Organizado. O último caso de grande repercussão em que trabalhou foi do Novo Jornal, quando pediu a prisão do jornalista Marco Aurélio Flores Carone. Ele era acusado de atacar testemunhas que seriam ouvidas em um processo contra ele. André Pinho afirmou que, de 11 testemunhas arroladas no processo, 10 sofreram calúnias a partir do oferecimento da denúncia.

O promotor já foi alvo de outros ataques. Em dezembro de 2013, o carro dele foi incendiado na Rua do Ouro, no Bairro Serra, Região Centro-Sul de BH. Três homens foram vistos fugindo do local. André Pinho teria sofrido ameaças horas antes do incêndio.

PM esteve no prédio na manhã de hoje(foto: Jair Amaral/EM DA Press)
PM esteve no prédio na manhã de hoje (foto: Jair Amaral/EM DA Press)
Em fevereiro de 2012, ele voltava de um culto religioso com a mulher quando o passageiro de uma moto disparou tiros no seu carro. Ninguém se feriu. Na época, a suspeita recaiu sobre um irmão dele, que é advogado e havia sido preso dias antes, acusado de extorquir dinheiro do promotor.

O irmão do representante do MP foi preso como suspeito de ameaçar a ex-mulher, também promotora de Justiça. A polícia não descartou na época a possibilidade de o advogado ter planejado a morte dela. Em 2011, o carro de Laís Maria Costa Silveira foi pichado com cruzes e a frase “vadias, a morte sempre está por perto”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade