Publicidade

Estado de Minas

Agentes da BHTrans sugerem linha que ligue estação do BRT da Pampulha à Região Hospitalar

Segunda etapa na Antônio Carlos leva mais de 40 mil novos usuários e faz agentes da BHTrans sugerirem ramal entre Pampulha e hospitais sem parar. Terceira fase começa em 12 de junho


postado em 27/05/2014 06:00 / atualizado em 27/05/2014 09:35

Estação Pampulha do Move ficou lotada ontem, quando passou a receber cerca de 77 mil usuários por dia(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS )
Estação Pampulha do Move ficou lotada ontem, quando passou a receber cerca de 77 mil usuários por dia (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A PRESS )
Quarenta mil novos passageiros ingressaram ontem ao BRT/Move na Pampulha, aumentando para 77 mil usuários por dia no trecho Antônio Carlos. Eles deixaram de usar 11 linhas do antigo sistema e migraram para oito alimentadoras, lotando as plataformas e ônibus da estação na segunda fase de implantação do sistema na região. Com isso, agentes de campo da BHTrans, que trabalham na Estação Pampulha, sugeriram a criação de uma linha troncal que ligue o terminal à região hospitalar sem parar nos pontos do corredor exclusivo da Avenida Antônio Carlos. Segundos os agentes, a demanda para os hospitais é muito grande e fica difícil embarcar nas estações de transferência ao longo do trajeto.

Agentes informaram ainda que a terceira fase do Move na Antônio Carlos está marcada para o dia 12 de junho, com uma linha troncal para atender a região da Savassi. A nova configuração obriga as linhas 50 (Centro) e 51 (hospitais) a operarem com intervalos que chegam a apenas um minuto de diferença em alguns horários.

Mais uma vez a principal reclamação dos usuários foi a falta de informações. Porém, diferentemente da primeira etapa, mais funcionários da BHTrans estavam disponíveis para auxiliar os passageiros e a sinalização começa a melhorar, com placas definitivas. Outro problema foram as filas nas bilheterias. Sem o cartão integração, é necessário descer das alimentadoras e comprar um bilhete unitário complementar antes de passar pelas catracas. Repetindo a segunda-feira de estreia do Move na Antônio Carlos, houve reclamação do serviço das alimentadoras. Por fim, a superlotação, mais uma vez, foi alvo de protestos. “Estamos percebendo que se tivermos uma linha troncal até os hospitais sem parar na Antônio Carlos a viagem pode demorar menos. Além disso, os ônibus podem rodar mais vazios”, disse um agente, que preferiu não se identificar.

A operadora de telemarketing Márcia Mendes Rodrigues, de 27 anos, se adiantou e fez o teste no Move sábado, para aproveitar o movimento mais tranquilo. Ontem, ela orientou a mãe, que também é passageira do novo sistema e queria ir à região hospitalar. Ambas usavam a linha 2211A, que ligava o Bairro Campo Alegre, Norte, ao Centro. “Achei que houve prejuízo da nova linha alimentadora. Antes, nosso ônibus ia para o Centro de 20 em 20 minutos. Agora, passa de meia em meia hora para a estação”, afirma Márcia. Para ir aos hospitais, a mãe de Márcia, Maria Rodrigues Teixeira, de 50, empregada doméstica, ia pegar a linha 51 pela primeira vez. “Vamos ver como que fica, a ajuda da minha filha foi importante para saber o que fazer. Ainda está tudo meio confuso”, diz ela.

A assessora pedagógica Cássia Nascimento, de 41, deixou de usar a Linha 2211B, que levava os moradores do Bairro Planalto, Norte de BH, ao Centro da capital. “Gastava em torno de 35 minutos nesse trajeto. Hoje (ontem) já gastei 35 minutos sem nem pegar o ônibus que vai para o Centro”, reclama. Ela argumenta que foram 10 minutos na fila para comprar o bilhete, o que complicou o deslocamento mais rápido. O técnico em enfermagem Cristiano Nonato, de 36, acabou perdendo tempo na fila para comprar o complemento da viagem no BRT, mas não se abalou. “No início é assim, não tem jeito. Agora, tenho que comprar o cartão para fazer a integração mais rápido”, afirma.

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)


Monitoramento

A BHTrans informou que monitora permanentemente a demanda das linhas existentes ou a necessidade de criar ou adaptar seus itinerários. As linhas, segundo a BHTrans, são monitoradas de forma presencial e eletrônica para identificar a necessidade de reforço ou aperfeiçoamento do trajeto. “As linhas troncais já operaram ontem com o reforço previsto para a segunda etapa no corredor Antônio Carlos”, informou, por meio de nota. Disse ainda que foi ampliado o número de guichês por conta da demanda nas bilheterias.

Turista perdido na estação
Em meio ao tumulto gerado pela inauguração recente da Estação Pampulha e pela implantação da segunda fase do Move no terminal, um homem chamou a atenção na manhã de ontem. O turista João Teixeira Queiroz Mendes, de 51 anos, veio de Portugal com a mulher e o filho conhecer o Brasil e se aventurou pela estação. Porém, como não estava interessado em seguir ao Centro ou aos hospitais, ficou desorientado. “Quero ir ao Jardim Zoológico. Como faço para chegar até lá? Estão me mandando ir até a Avenida Augusto de Lima, para pegar o ônibus da linha 3302”, afirmou ele, indignado, já sabendo que o zoológico fica próximo à estação.

Ele estranhou muito o fato de um agente da BHTrans ter sugerido que ele fosse até o Centro para depois voltar à Pampulha. “Você saberia me dizer o que podemos fazer para chegar mais rápido ao zoológico?”, questionou, durante a conversa. Na primeira tentativa, outro servidor repetiu a orientação anterior. Na segunda, outro funcionário conseguiu resolver o problema. “Basta ele pegar uma das alimentadoras que vai para o Céu Azul e descer na Avenida Portugal. Ali, ele estará a um quarteirão da orla da lagoa, onde pode entrar no ônibus que vai ao zoológico.

Diametral extinta

A segunda fase na Antônio Carlos promoveu a primeira extinção de uma linha diametral, que liga dois bairros. A 1207 (Betânia/ Santa Mônica) foi substituída por uma alimentadora, que vai do Santa Mônica (Venda Nova) à Estação Pampulha; uma troncal, da estação ao Betânia (Oeste); e três radiais, do Betânia ao Centro. Com a saída de circulação do 1207, as três radiais são a 2033(Betânia/Centro), 2034 (Conjunto Betânia/Centro) e 2035 (Bairro das Indústrias/ Centro). A nova troncal é a 5250 (Estação Pampulha/ Betânia) e as alimentadoras 619 (Pampulha/Santa Mônica via Santa Branca) e 620 (Pampulha/Santa Mônica via Santa Amélia).

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade