Publicidade

Estado de Minas

Onda de protestos se espalha pelo interior de Minas

Atos ocupam praças e avenidas de cidades universitárias de Minas. Sem confronto, PM apenas acompanha o movimento


postado em 19/06/2013 06:00 / atualizado em 19/06/2013 06:41

Manifestantes pararam o trânsito no fim da tarde de ontem no Centro de Montes Claros(foto: Solon Queiroz/Esp.EM)
Manifestantes pararam o trânsito no fim da tarde de ontem no Centro de Montes Claros (foto: Solon Queiroz/Esp.EM)


A onda de manifestações das capitais brasileiras se espalha pelo interior de Minas Gerais, especialmente pelas cidades com grande número de universitários. Depois de Viçosa, onde protesto reuniu cerca de 3 mil pessoas na noite de segunda-feira, e de Juiz de Fora, com 5 mil manifestantes, ontem foi a vez de passeatas e concentrações em Diamantina, São João del-Rei, Montes Claros, Pedro Leopoldo e Poços de Caldas.

Na terra do ex-presidente JK, a histórica Diamantina, ato público reuniu ontem à tarde mais de 1 mil pessoas, convocadas pelas redes sociais. O movimento foi pacífico e a Polícia Militar apenas acompanhou de perto os manifestantes, que percorreram as ruas do Centro Histórico, com cartazes e palavras de ordem. A maioria dos participantes era de alunos da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), que protestaram contra o preço da passagem do ônibus do câmpus universitário e reclamaram contra a paralisação das obras do alojamento estudantil e do restaurante universitário.

Eles se concentraram no Largo Dom João, onde foi iniciada a passeata. Os estudantes seguiram pela Rua da Gloria e passaram em frente ao pronto-socorro da Santa Casa de Diamantina, onde as palavras de ordem foram interrompidas. Também passaram pelo fórum, seguindo até a Igreja de Santo Antônio e à praça do Mercado Velho, onde cantaram o Hino Nacional.

A aluna de história Patrícia Galvão, que se identificou como uma das líderes do grupo Estudantes em Movimento, disse que a manifestação teve por objetivo chamar a atenção para as reivindicações dos universitários de Diamantina e para os direitos dos trabalhadores. “A nossa meta é mostrar a necessidade da juventude de resgatar a capacidade de se indignar contra as injustiças sociais que afetam a classe trabalhadora na educação, saúde, transporte e no direito de ir e vir”, afirmou Patrícia.

Outra participante do ato publico, que se identificou como Ana Cláudia, disse que o grupo reivindicava a redução da tarifa de ônibus na cidade, que subiu de R$ 1,90 para R$ 2. “Também pedimos a melhoria da qualidade do transporte, pois os ônibus estão velhos”, disse a estudante.


PASSEATAS PACÍFICAS

MONTES CLAROS
Convocado pelas redes sociais, protesto reuniu ontem à tarde cerca de 200 jovens em Montes Claros, no Norte de Minas. Eles se concentraram ao lado da prefeitura, onde exibiram cartazes e palavras de ordem pelo passe livre, protestando também contra a Câmara Municipal por ter aprovado projeto que autoriza o repassse de R$ 1,3 milhão para pagamento de pessoal da Associação de Promoção e Ação Social (Apas), presidida pela mulher do prefeito Ruy Muniz, Tânia Raquel Queiroz Muniz. Em manifestação o pacífica vigiada pela Polícia Militar, o grupo provocou transtornos no trânsito da Avenida Sanitária e de ruas do Centro e parou em frente à casa do prefeito, que estava viajando.

SÃO JOÃO DEL-REI
Quatro mil estudantes invadiram espaços do Centro Histórico de São João del-Rei(foto: Marcelo Alves/Divulgação)
Quatro mil estudantes invadiram espaços do Centro Histórico de São João del-Rei (foto: Marcelo Alves/Divulgação)
Depois de comparecer à reunião na Câmara Municipal, que tinha o passe livre como pauta, cerca de 4 mil estudantes saíram às ruas de São João del-Rei ontem à tarde, fecharam parte da Rua Ministro Gabriel Passos, no Centro, seguindo em passeata até a sede da empresa responsável pelo transporte público da cidade. “Na minha casa não tem pé de dinheiro, o preço da passagem leva meu salário inteiro”, cantavam durante a manifestação.


MAIS MOBILIZAÇÕES

Convocações para protestos pipocam pelo interior de Minas. Um grupo de Muriaé já confirmou que a cidade vai parar esta semana. Patos de Minas se prepara para mobilização hoje. Em Itabira, na Região Central, estudantes pretendem voltar às ruas hoje e amanhã. No Facebook ontem havia convocações para manifestação hoje em Pedro Leopoldo, na Grande BH. No Sul de Minas, onde já houve passeatas em Paraisópolis e Andradas, jovens se preparam para ocupar ruas hoje em Boa Esperança. Em Varginha, o convite era para encontro amanhã, que ocorrerá também em Poços de Caldas. Em Lagoa Santa, um protesto será no domingo.


Publicidade