Publicidade

Estado de Minas

Cabo suspeito de estupro e agressão se entrega à Justiça Militar

Já está preso um companheiro de trabalho dele, um soldado de 25 anos, que também teria participado do crime


postado em 29/05/2012 18:29 / atualizado em 29/05/2012 18:42

O cabo da Polícia Militar, de 40 anos, que teve a prisão preventiva decretada ontem pela Justiça Militar Estadual, se entregou nesta terça-feira no 39º Batalhão da Polícia Militar, em Contagem, na Grande BH. O militar é acusado de envolvimento em um caso de estupro, agressão física e invasão domiciliar em Contagem, na Grande Belo Horizonte. Já está preso um companheiro de trabalho dele, um soldado de 25 anos, que também teria participado do crime.

Ambos seguem pesos preventivamente em batalhões da Polícia Militar. De acordo com o chefe da assessoria de imprensa da PM, Major Gilmar Luciano Santos, ao final do processo, eles podem ser expulsos da corporação. O caso será investigado pela Justiça Militar.

O soldado está preso desde a última quinta-feira, quando foram encontradas em sua casa drogas e munição, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão. Ele foi autuado por porte ilegal de munição. Também foram feitas buscas na casa do cabo, mas nada foi encontrado. O cabo tem 20 anos de quartel, mas chegou a ser excluído da corporação, por motivos não informados, mas conseguiu na Justiça voltar. Já o soldado tem quatro anos de trabalho na corporação e nunca se envolveu em problemas no cumprimento de sua função. Na última quinta-feira, ele admitiu ser usuário de crack e maconha.

Os dois policiais, lotados no 39º Batalhão da PM, foram acusados por quatro por jovens moradores do aglomerado Frigo Diniz, Bairro Cidade Industrial, em Contagem, de terem invadido o imóvel deles, os agredido e, ainda, estuprado a jovem de 18 anos, grávida de 2 meses. Somente o cabo teria cometido o abuso sexual.

As vítimas disseram que os policiais arrombaram a porta da casa dizendo estar à procura de drogas. Os militares mandaram os jovens tirar roupas e se abaixarem para procurar os entorpecentes. Eles foram agredidos com pedaço de madeira e choques elétricos. O estupro contra a jovem grávida teria sido cometido na frente do namorado.

(Com Fernanda Penna e Daniel Silveira)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade