Publicidade

Estado de Minas

Chega a 52 número de cidades mineiras que decretaram emergência

As cidades de Itabirito, Brumadinho, Cipotânea, Raul Soares, Congonhas, Guiricema e São João Evangelista entram para a lista de locais em alerta. Todos foram atingidos por inundações


postado em 03/01/2012 10:04 / atualizado em 03/01/2012 10:29

Em Minas Gerais, 52 cidade decretaram situação de emergência por causa da chuva. De acordo com a Defesa Civil do estado, mais sete cidades entraram em alerta depois de inundações enchentes. Mais de 2 milhões de pessoas foram afetadas pelos temporais sendo que 9.365 estão desalojadas. Decretaram emergência as cidades de Itabirito, Brumadinho, Cipotânea, Raul Soares, Congonhas, Guiricema e São João Evangelista.

Em Itabirito, na Regão Central o estado, o rio com o mesmo nome da cidade transbordou atingindo a área central do município, além dos bairros São Geraldo e Lourdes. Em Brumadinho, na região metropolitana, a subida do Rio Paraopeba trouxe prejuízos.

Em Congonhas, na região central, a chuva provocou elevação dos rios Maranhão e Santo Antônio e houve inundação. Em Guiricema, na mesma região, o Rio Bagres também subiu atingindo áreas urbanas e rurais. Casas e estradas foram danificadas.

Na cidade de Guidoval, Zona da Mata, uma pessoa foi levada pela correnteza depois que um córrego subiu repentinamente. A rede de telefonia foi toda afetada ficando sem condições de comunicação. O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar estão auxiliando nas ações emergenciais.

Chuvas em Belo Horizonte

Em Raul Soares, Zona da Mata, o problema foi o volume dos rios Santana e Matipó, além do córrego Ubá. Todos cortam o município e causaram enchentes. Em Cipotânea, alguns córregos e rios também transbordaram inundando grande parte do município. Houve deslizamento de taludes, interditando ruas e estradas. A energia elétrica só foi restabelecida no fim da noite de ontem.

Mais estragos

Outras  municípios da Zona da Mata Mineira também foram castigados pela chuva e  sofreram alagamentos e muitos prejuízos. Em Ubá, o ribeirão com mesmo nome, transbordou e deixou diversas casas alagadas. O deslizamento de encostas na cidade afetou a rede de distribuição de água e parte do município teve o abastecimento interrompido. Já em Matipó, o maior estrago foi causado no fim de semana. O Rio Matipó elevou o nível e diversas casas ribeirinhas foram inundadas.  

Em Dona Euzébia, a situação foi a mesma, os rios Xopotó e Pomba transbordaram e provocaram o alagamento de cerca de 70% da cidade. Houve a suspensão do fornecimento de água e luz. As família desalojadas e desabrigada foram encaminhadas para escolas e igrejas da região.

Em Moeda, na Região Central do estado, e em Santana do Jacaré, no Centro-Oeste, as chuvas também causaram  a obstrução de várias ruas e estradas do município. Além de provocar a inundação de diversos pontos das cidades. Segundo a Defesa Civil, não houve registro de desalojados e desabrigados.


Publicidade