Publicidade

Estado de Minas

Professores estaduais decidem que greve continua em Minas


postado em 31/08/2011 17:00 / atualizado em 31/08/2011 17:08

Os professores estaduais decidiram, mais uma vez, pela continuidade da greve em Minas Gerais. Há 85 dias longe das salas de aula, cerca de 9 mil profissionais da educação participaram de uma reunião na tarde desta quarta-feira no pátio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

O grupo deve seguir em passeata pela capital. Nos últimos protestos, os manifestantes se  concentraram em locais que só foram definidos durante a caminhada, portanto, os motoristas devem ficar atentos à  movimentação. Militares do 1º Batalhão e dos batalhões de Trânsito e Eventos, além de agentes da BHTrans vão acompanhar o protesto.

Em reunião com o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE), nesta quarta-feira na sede do Ministério Público de Minas Gerais, o governo de Minas propôs um piso salarial de R$ 712 como vencimento básico para os professores da rede estadual. Com esse valor, o governo afirma que cumpre o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), em acordo com a Lei Federal 11.738, que regulamenta o salário de R$ 1.187 para servidores que exercem 40 horas semanais. Segundo a Secretaria Estadual de Educação (SEE), como os professores de Minas trabalham 24 horas semanais, a regra prevê a proporcionalidade do salário. Conforme o sindicato, atualmente o governo paga o piso de R$ 369.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade