Publicidade

Estado de Minas ARTE FINAL

Instituto Usiminas contrata máscaras artesanais e incentiva economia local


postado em 26/04/2020 04:00

Além de atuar no combate à pandemia, iniciativa vai proporcionar renda nas comunidades(foto: Divulgação)
Além de atuar no combate à pandemia, iniciativa vai proporcionar renda nas comunidades (foto: Divulgação)

 
Uma ação coordenada pelo Instituto Usiminas envolvendo profissionais do Vale do Aço, Belo Horizonte, Itatiaiuçu, Itaúna e Cubatão (SP) está proporcionando geração de renda para essas comunidades, além de ajudar no combate à Covid-19. Das mãos de 56 costureiras, artesãos e pequenos empreendedores estão saindo 67 mil máscaras de proteção em TNT pedidas pelas Usiminas e que serão distribuídas aos colaboradores da empresa em diversas cidades do país e ao Setor de Hemodiálise do Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga. 
 
Paralelamente, outras 74 mil máscaras, em tecido, produzidas por outros fornecedores locais, estão sendo direcionadas para uso contínuo de empregados próprios e terceiros que permanecem em atividades essenciais nas unidades operacionais da companhia. As iniciativas se somam a outras medidas que vêm sendo tomadas pela Usiminas para uma atuação com foco prioritário na proteção dos colaboradores, familiares e parceiros.
 
A opção pelo trabalho dos artesãos visa proporcionar renda a pessoas que tiveram suas atividades prejudicadas pela pandemia. Da mesma forma, a companhia priorizou fornecedores locais na compra dos materiais e demais insumos. "Vimos, nessa iniciativa, uma nova maneira de apoiar a comunidade, assim como já fazemos por meio das inúmeras ações que estão sendo adotadas pela Fundação São Francisco Xavier (FSFX), braço da Usiminas na área de saúde e educação, e pelo Instituto Usiminas, que atua com cultura, esporte e responsabilidade social. Mais que apenas comprar máscaras, buscamos gerar um benefício para esses artesãos e costureiras", afirma a diretora corporativa de comunicação e relações institucionais da empresa, Ana Gabriela Dias Cardoso.
 
Inicialmente, estão sendo produzidas cerca de 66 mil máscaras para compor kits que serão entregues a colaboradores de todas as unidades da empresa. A proposta é que os itens sejam usados pelos funcionários e seus familiares, seguindo a nova orientação dos órgãos de saúde, que validou o uso de máscaras artesanais como barreira adicional ao coronavírus. Cada kit contém três máscaras, sabonete e uma cartilha com recomendações gerais de higienização e uso seguro da máscara. Outras mil máscaras estão sendo doadas para pacientes da área de hemodiálise do Hospital Márcio Cunha, um setor responsável, entre outros atendimentos, por cerca de 5 mil sessões mensais de diálise.
Ana Gabriela salienta que a mobilização está alinhada ao DNA da Usiminas, que tem na proteção da vida um de seus valores. "Juntos, vamos superar mais este desafio, como já fizemos diversas vezes ao longo de quase 60 anos. A Usiminas reforça com mais essa ação seu compromisso com a vida, a segurança e com o incentivo ao desenvolvimento das comunidades onde está presente", afirma a diretora.

OUTRAS AÇÕES Além da distribuição dos kits, a Usiminas está atuando em outras frentes. Nas cidades de Ipatinga e Cubatão, está realizando a higienização de vias e de locais de grande circulação de pessoas, como pontos de ônibus e unidades de saúde. O trabalho, realizado em parceria com as prefeituras, utiliza uma solução à base de cloro para eliminar possíveis focos do vírus nos locais, evitando novas contaminações.
 
A empresa também já encaminhou cerca de 40 toneladas de alimentos e itens de higiene pessoal para doação às comunidades em situação de vulnerabilidade social. Em Ipatinga, onde está sua maior unidade operacional, são quase 20 toneladas em cestas básicas, sabonetes em barra, líquido e papel- toalha que estão sendo repassadas às comunidades. Em parceria com a prefeitura do município, a iniciativa vai beneficiar cerca de mil famílias e instituições cadastradas. 
 
Em outra frente, a Usiminas está repassando recursos no valor de R$ 6 milhões, que serão aplicados nas cidades do Vale do Aço. O valor é proveniente de uma obrigação fixada em acordo judicial firmado em 2009. Pelo novo acordo entre a Usiminas e o Ministério Público do Trabalho (MPT), homologado pela Justiça, garantiu-se a destinação desses recursos para o Vale do Aço. A divisão do montante entre os municípios e finalidades será conduzida pelo MPT, em parceira com as prefeituras da região. 
 
Os recursos deverão ser utilizados no custeio de medidas de proteção individual e coletiva de profissionais da administração pública, que atuam na área de saúde, e também para medidas de aperfeiçoamento do atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade