Publicidade

Estado de Minas BIJUTERIAS

Empresa que vende semijoias em Belo Horizonte inaugura showroom no Prado

J'adore cresce a ponto de investir em fabricação própria, desde o desenho até a montagem, e promove lançamentos duas vezes por semana


postado em 08/09/2019 04:00 / atualizado em 05/09/2019 14:27

(foto: J'adore/Divulgação)
(foto: J'adore/Divulgação)


De revenda a fábrica de semijoias, foram cinco anos. Danielle Utsch começou batendo de porta em porta para vender as peças que comprava de vários fornecedores. Depois alugou uma pequena sala para atender as clientes e agora comemora a abertura no novo showroom, no Prado, em um prédio de cinco andares. “Fazemos semijoia de luxo, independentemente se é um anel solitário ou um colar todo cravejado, o que importa é o conceito em volta”, diz a empresária, que trabalhava como executiva de vendas na área de tecnologia.
 
Hoje a J'adore produz praticamente tudo o que comercializa, permitindo um salto da empresa, que consegue trabalhar com preços mais competitivos. É necessário importar apenas pedras sintéticas e correntes. “Tenho orgulho de falar que todas as peças passam pelas nossas mãos. Nós que criamos os desenhos, fazemos a montagem e acompanhamos todo o processo”, informa. Quatro fábricas terceirizadas, três em Belo Horizonte e uma no interior, produzem com exclusividade os produtos.

Danielle atribui o crescimento da empresa a outro fator: o modelo de negócio que criou. Logo no início, ela desistiu do varejo e optou pelo consignado. Todo mês, o revendedor vai ao showroom para selecionar as peças que quer incluir no seu mostruário, que deve ter valor mínimo de R$ 1,5 mil. “Ele sai daqui com bolsa de transporte, material de exposição, embalagem de presente, o romaneio e já está pronta para ir para a rua”, detalha. No mês seguinte, volta para pagar o que vendeu e devolver o que não vendeu. O acerto tem que ser de, pelo menos, 30% do seu romaneio.
 
(foto: J'adore/Divulgação)
(foto: J'adore/Divulgação)
 
 
No total, são 650 revendedores espalhadas por Belo Horizonte, interior de Minas e outros estados, como Rio de Janeiro, Espírito Santo, Acre e Pará. Cerca de 90% são mulheres. Danielle avisa que o seu objetivo, ano que vem, é chegar ao número de 2,5 mil.
 
A marca lança novidades duas vezes por semana, o que representa de três a quatro mil peças. Ou seja, acumula ao longo de cinco anos uma quantidade e diversidade impressionantes de itens no portfólio, entre brincos, colares, pulseiras, anéis, tornozeleiras e presilhas de cabelo. Segundo Danielle, tem semijoia para todos os gostos e bolsos, desde um pontinho de luz na orelha até um brinco com três mil zircônias. “A revendedora não precisa ir em outro lugar para fazer o seu mostruário”, destaca.
 
(foto: J'adore/Divulgação)
(foto: J'adore/Divulgação)
 

NATUREZA Atualmente, o produto mais vendido é o brinco de argola com cruzes pendentes. Danielle observa que o posicionamento de fé anda forte na moda, assim como a inspiração na natureza. Muitas das peças ganham formato de flor, borboleta e pássaros. Além disso, a maioria das clientes prefere o dourado. “A moda hoje permite misturar peças, banhos e estilos num look. Você pode colocar um colar de pedra e várias correntes por cima que não fica pesado”, avisa.

Pedras estão sempre presentes nas peças da J'adore, desde as naturais (como pérola e turquesa) até as sintéticas, incluindo jade (que pode assumir qualquer cor e tamanho) e zircônia (chamado de diamante sintético). Um dos destaques do último catálogo é o colar em forma de gota com uma pedra no centro, uma borda de latão banhado com zircônias cravejadas e outra esmaltada, que aparece em várias cores. Para o verão, Danielle aposta no coral e suas variações, como laranja, além de tons de roxo e pink.

(foto: J'adore/Divulgação)
(foto: J'adore/Divulgação)


Publicidade