Publicidade

Estado de Minas ESTÉTICA/PLANEJAMENTO

Financiamento adequado começa com definição da demanda da empresa

Acertar na modalidade de crédito é o primeiro passo importante para o empreendedor alcançar o sucesso


postado em 10/05/2015 06:04 / atualizado em 10/05/2015 07:57

'Temos mais de 6 mil gerentes de contas em todo o país que fazem essa consultoria para o empreendedor, identificando qual a linha de crédito é mais adequada para o seu negócio' (João Carlos Gomes da Silva - Diretor da área de empréstimos e financiamentos do Banco Bradesco)(foto: Bradesco/Divulgação)
'Temos mais de 6 mil gerentes de contas em todo o país que fazem essa consultoria para o empreendedor, identificando qual a linha de crédito é mais adequada para o seu negócio' (João Carlos Gomes da Silva - Diretor da área de empréstimos e financiamentos do Banco Bradesco) (foto: Bradesco/Divulgação)
A busca por recursos é uma demanda constante das empresas e, muitas vezes, a única alternativa para impulsionar o crescimento do negócio. Acertar na modalidade de crédito é o primeiro passo importante para o empreendedor alcançar o sucesso em seu financiamento. Por isso, antes de sair em busca de recursos e assinar o contrato com a instituição financeira, é preciso se organizar, respondendo a algumas perguntas chaves. Qual a exata demanda da empresa? Capital de giro, investimentos em equipamentos? Em pesquisa? Qual a linha de crédito mais adequada ao perfil do negócio? Qual o montante necessário? Em quanto tempo poderia quitar o financiamento?

As linhas existentes no mercado abrangem empreendedores de todos os portes, até mesmo aqueles bem pequenos, com faturamento máximo de R$ 120 mil ao ano, formais ou informais. “Temos mais de seis mil gerentes de contas em todo o país que fazem essa consultoria para o empreendedor, identificando qual linha de crédito é a mais adequada para o seu negócio”, aponta o diretor da área de empréstimos e financiamentos do Banco Bradesco, João Carlos Gomes da Silva. Segundo o executivo, na instituição, 93% do crédito oferecido à pessoa jurídica é direcionado a micro, pequenas e médias empresas. Este ano, o banco projeta um crescimento de 8% na modalidade.

Os financiamentos do banco também atingem perfis variados de negócios. Algumas linhas de crédito permitem que o empreendedor tenha por exemplo um imóvel como garantia. Há propostas para investimentos onde a garantia pode ser o aval do sócio ou mesmo um veículo. É possível buscar financiamentos para capital de giro, compra de equipamentos, aquisição de matéria-prima, compra de estoque, antecipação de recebíveis, aquisição de bens e mercadorias.

As taxas de juros partem de 1,04%, ao mês como é o caso do cartão BNDES do Banco Bradesco, específico para micro, pequenas e médias empresas, voltado para a compra de equipamentos e de matéria-prima e com limite de financiamento de até R$ 1 milhão por cliente. Outras linhas, como o crédito para investimento em franquias, partem de taxas a 2,15% ao mês. João Carlos Silva explica que a taxa de juros pode variar conforme o risco. Cada empresa tem seu financiamento avaliado individualmente. Segundo o executivo do Bradesco, a taxa de inadimplência na linha de crédito para pessoa jurídica tem se mantido estável na instituição, em 4,5%.

Este mês, o banco Bradesco lança convênio com o Sebrae para financiamentos por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe). Trata-se de um fundo criado pelo Sebrae para complementar as garantias exigidas por instituições financeiras ao micro e pequeno empreendedor. A princípio, a linha de crédito será destinada às franquias. A carência é de até seis meses, com prazo de até seis anos para pagar. A taxa de juros está próxima de 2,15% ao mês. “A ideia é abrir essa linha de crédito para outros segmentos”, diz Silva.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade