Publicidade

Estado de Minas MUNDO PEIXE - É CAVALO, MAS VIVE NA ÁGUA

Cavalo-marinho ganha cada vez mais mercado, sendo ótima opção para decorar aquários

Manutenção é trabalhosa


postado em 08/08/2015 05:55 / atualizado em 08/08/2015 08:58

Uma das espécies que vêm atraindo os olhares dos aquaristas e ganhando cada vez mais o mercado pet é o cavalo-marinho. O peixe pertence ao gênero Hippocampus, nome dado em referência aos seres fictícios da mitologia grega, filhos de Poseidon – deus do mar, cuja parte superior do corpo era como a de um cavalo com crina membranosa e a parte inferior era parecida com a de um golfinho.

(foto: Maria Tereza Correia/EM/D.A. Press)
(foto: Maria Tereza Correia/EM/D.A. Press)
O cavalo-marinho nada com o corpo na vertical, movimentando rapidamente as barbatanas, e é, muitas vezes, confundido com plantas marinhas e corais, pois exibe mimetismo, ou seja, tem características que se aproximam de outros organismos, podendo até trocar de cor.

São seres que atingem no máximo 15 centímetros e um peso de 50 a 100 gramas. Seu hábitat são águas de regiões de clima temperado e tropical. Pelas suas características, é um peixe bem frágil, necessita de muita atenção e cuidado para viver em aquários, pois qualquer mudança ou impacto poderá levá-lo à morte.

Para aqueles que desejam ter um aquário com esses peixes, é bom saber que é um tanto trabalhosa, além de ter um custo alto, pois a manutenção deve ser realizada com bastante frequência para evitar o acúmulo de fungos e bactérias. Segundo o aquarista e biólogo Lucas Peixoto, é aconselhável criar de dois a quatro cavalos em um aquário de 100 litros em média e deve ser instalado longe do sol ou onde ele não bata com tanta frequência.

TRANQUILOS

'Como são peixes bem sensíveis, é aconselhável que sejam adquiridos já amadurecidos, até mesmo para saber que se está comprando um peixe livre de doenças. Então, quando comprar um, certifique-se de que ele já esteja adaptado para viver em aquário', ressalta o biólogo. Os parâmetros da água mais adequada são: pH de 8 a 8,3, gravidade variando entre 1,020 a 1,025. Não deve haver presença de amônia nem nitritos. Já os nitratos devem ser menores que 20ppm. 'A água é um fator fundamental para manter os cavalos-marinhos saudáveis', afirma.

Ele se alimenta de pequenos moluscos, vermes, crustáceos e plânctons, sugados pelo focinho tubular. São peixes bem sociáveis, podendo viver com outras espécies. 'Esses animais são bem tranquilos e nadam bem devagar. Então, quando introduzir outra espécie no aquário, atente-se para que seja tão lenta quanto o cavalo-marinho, para não estressá-lo', ressalta Peixoto.

Curiosidade

Durante a reprodução, a cauda do macho se entrelaça com a da fêmea e os dois ficam imóveis. A fêmea deposita óvulos dentro de uma bolsa que o macho tem na base da cauda, onde são fertilizados. Em cerca de dois meses, o macho começa a sentir contrações para expelir os filhotes, que são muitos – cerca de 350. Depois de expelidos, os filhotes se tornam completamente independentes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade