Publicidade

Estado de Minas

Três professores de Minas são finalistas em concurso que será disputado em dezembro

Eles já vão receber R$ 7 mil cada, viagem à Irlanda para participação em programa de capacitação, troféu e equipamentos de informática


postado em 12/11/2017 08:31 / atualizado em 12/11/2017 08:40

Três professores de Minas vão disputar a final do Prêmio Professores do Brasil, em dezembro. Andreia Rodrigues de Oliveira, de Juiz de Fora, Gracielle Leite da Silva, de Carangola, e Adalgisio Gonçalves Soares, de Minas Novas, vencedores da etapa regional, já vão receber R$ 7 mil cada, viagem à Irlanda para participação em programa de capacitação apoiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), troféu e equipamentos de informática com conteúdo educativo para as escolas em que trabalham. Agora, eles estão entre os 30 profissionais de todo o país que seguem para a final.


A professora Andreia, da escola Escola Municipal Bonfim, é vencedora na categoria educação infantil/pré-escola, com o projeto Identidade, arte e literatura: uma parceria colorida. Ela conta que, a partir do projeto, que teve produção de mosaicos, recortes, pinturas, desenhos e releituras de obras de arte, as crianças passaram a utilizar mais cores em seus desenhos, a nomeá-las corretamente e a mostrar mais autonomia em suas produções.


A professora Gracielle, da Escola Estadual Pedro de Oliveira, venceu na categoria ensino fundamental/ciclo de alfabetização com o projeto Educação do campo: um jeito de ensinar através do meio onde se vive. Ela conta que realizou atividades interdisciplinares com os alunos, de forma articulada e simultânea com experiências de pessoas que moram no campo, valorizando sua história e cultura.


Já o professor Adalgisio Gonçalves Soares, da Escola Estadual Presidente Costa e Silva, foi o vencedor na categoria ensino fundamental/anos finais sexto ao nono ano, com o projeto Festival de curtas, uma viagem às mil e uma noites de Malba Tahan. “O projeto propõe o ensino da matemática de uma forma divertida e atraente. Tomamos como referência a obra do matemático brasileiro Júlio Cesar de Melo e Sousa. Mais que isso, o projeto é um investimento no aluno em sua totalidade”, define.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade