Publicidade

Estado de Minas EMPREGO

Empresa de recrutamento faz levantamento de áreas com mais contratações durante pandemia

Com a necessidade de dar suporte aos funcionários que prestam serviço home office, empresas têm contratado grande número de profissionais de TI, finanças e vendas


postado em 30/04/2020 22:09 / atualizado em 30/04/2020 22:14

Com a necessidade de dar suporte aos funcionários que prestam serviço home office, empresas têm contratado grande número de profissionais de TI(foto: Agência Brasil)
Com a necessidade de dar suporte aos funcionários que prestam serviço home office, empresas têm contratado grande número de profissionais de TI (foto: Agência Brasil)
De acordo com levantamento da Page Interim, consultoria especializada em recrutamento, seleção e administração de profissionais terceirizados e temporários, os setores de TI, vendas, finanças, RH e saúde lideram as contratações de profissionais temporários e terceiros durante a pandemia do novo coronavírus. 

Maíra Campos, diretora da Page Interim, diz que, apesar da instabilidade da economia, diversas empresas têm mudado suas estratégias para acompanhar a complexidade do cenário proporcionado pelo coronavírus. 

“A adaptação às novas demandas e a digitalização dos negócios são necessidades cada vez mais evidente. Também encontramos diversos desafios de estabilização de operações, reajustes de departamentos e a busca por reduções de custos significativos, que variam de acordo com as especificações das empresas”, disse.

De acordo com levantamento da empresa, a área com mais contratações é a de TI. O cargo mais procurado é de analista de infraestrutura. A necessidade das empresas prestarem suporte aos seus funcionários que estão trabalhando em Home Office faz com que a área esteja super valorizada. A média salarial é de R$ 4 mil a R$ 5,5 mil. 

Também da área de TI, outro cargo valorizado é o de desenvolvedor web. Com migrações a ambientes web (sites e aplicações) dos mais diferentes negócios, os desenvolvedores web tornaram-se requisitados para compor equipes tecnicamente especializadas. O termo também vem se tornando mais conhecido devido à popularização de diversos cursos e da flexibilização de perfil de atuação dos profissionais da área. A média salarial é de R$ 6,5 mil.
 
Outro cargo de TI que tem sido procurado é o de analista de user experience / user interface. São profissionais com proficiência em identificar problemas de uso em interfaces, criando hipóteses e testes para soluções. Realizam testes A/B e criam o design da experiência do usuário que amplifique métricas de acesso, utilização e retorno. Também são responsáveis pelo desenvolvimento de layouts, wireframes e protótipos. O salário médio é de R$ 5 mil.

No setor de vendas, muitos profissionais estão sendo requisitados. O cargo de analista de customer service é um deles. O papel desempenhado é o de resolver questões de agendamento de pedidos, ocorrência de entregas e direcionamento de resolução. Prestam atendimento telefônico por diferentes canais. Fazem follow-up de todos atendimentos, buscando excelência e resolução efetiva. O salário fica em média de R$ 3 mil a R$ 4,5 mil.

Analistas de compras também estão sendo requisitados. Desempenhando prospecção e cotações no mercado; renegociações com clientes; compras internacionais e nacionais e gestão de carteira de fornecedores, os profissionais recebem em média R$ 4,5 mil a R$ 5,5 mil.

O setor de finanças também recebe alta procura. No contexto atual, o mercado apresenta maior necessidade de profissionais que tenham habilidade de negociação para ajustes no fluxo de caixa, cobranças pendentes e planejamento para redução de PDD (provisão de devedores duvidosos), analista de cobrança é outro profissional muito procurado por empresas. A média salarial fica entre R$ 3 mil e R$ 6 mil.

Analistas contábeis e coordenadores de controladoria também recebem alta na procura. Pelo momento atual demonstrar maior necessidade de ter a contabilidade dos negócios em dia. O profissional torna-se importante por fazer a revisão e reportar as demonstrações financeiras, orientando as melhores estratégias para a empresa. Um analista pleno recebe em média R$ 5 mil a R$ 7 mil e um coordenador, R$ 8 mil.

Por fim, o cargo de analista de faturamento também tem sido muito procurado. O profissional analisa e valida todo o fluxo de notas fiscais; audita a precisão das informações de faturamento e monitora a operação; configura contratos para faturamento e cobrança; auxilia nas tarefas relacionadas ao closing do mês. O salário de um analista jr. a pleno fica entre R$ 2 mil a R$ 4 mil e o de um analista sênior R$ 6 mil. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade