Publicidade

Estado de Minas EMPREGO

Consultora de imagem dá dicas de como manter o estilo no trabalho

Veja como dominar o dress code fazendo a leitura do ambiente da empresa


postado em 08/01/2019 10:21 / atualizado em 08/01/2019 10:20

Para Lais Machado, zelo é palavra-chave quando se trata de imagem corporativa (foto: Eduardo Macarios/Divulgação)
Para Lais Machado, zelo é palavra-chave quando se trata de imagem corporativa (foto: Eduardo Macarios/Divulgação)


A imagem do profissional é um elemento relevante na cultura das empresas e contribui para a evolução da carreira. No mercado de trabalho, causar boa impressão sempre conta pontos, e aí entra o trabalho da consultoria de imagem, que atua para alinhar o estilo individual ao ambiente da organização, e ao seu dress code, formal ou informal.

É possível cultivar estilo próprio. Para isso, é fundamental estar à vontade com o que usa para passar credibilidade e autoconfiança

Lais Machado



Com existência ou não de manual de "dress code" na empresa, é possível cultivar um  estilo próprio. Para isso, é fundamental estar à vontade com o que usa, pois não há como passar credibilidade sem autoconfiança. Como etapa relevante do trabalho de imagem, o profissional precisa identificar o que lhe cai bem.

"Zelo é palavra-chave quando se trata de imagem corporativa, uma das mensagens mais importantes que se pode passar no ambiente da empresa", afirma Lais Machado, consultora de imagem e estilo.

A partir dessa premissa, Lais Machado dá cinco dicas para ter uma imagem adequada no ambiente de trabalho.

1- Perfil da empresa
Com cultura corporativa não se brinca: a escolha do que vestir no ambiente de trabalho deve considerar o perfil da empresa. O colaborador representa a organização, seu modo de vestir precisa estar alinhado ao "mood" organizacional. Para não errar, deve-se analisar: qual o perfil da empresa? Ela é mais tradicional? Mais criativa? Mais contemporânea? Temos dois exemplos extremos: bancos e agências de publicidade. O primeiro com o código mais formal e o segundo com uma liberdade maior para se vestir. Avalie por essa régua em que nicho está sua empresa e, a partir disso, faça as escolhas.

2- Função desempenhada
Os líderes são sempre boas referências de como se vestir. Eles são espelhos, mas deve se considerar ainda o cargo ocupado. A partir dessas observações, fazer as escolhas para o seu guarda-roupa. A função que a pessoa desempenha deve estar representada no jeito que ela se veste. Então, não podemos esperar de um estagiário o mesmo que se espera de um gestor ou diretor.

3- Estilo pessoal
O estilo nada mais é do que reflexo da personalidade, por isso é sempre importante a pessoa identificar se o perfil da empresa vai ao encontro com quem ela é, para não causar nenhum sofrimento e desconforto desnecessário. Depois de mapeado o ambiente e refletir sobre o código de vestimenta para a função desempenhada, é
importante trazer referências do estilo pessoal, de forma sutil, para o ambiente de trabalho. Pequenos elementos podem indicar pontos da personalidade a destacar. Influências culturais, idade e a geração a que o profissional pertence são balizas para essa composição.

4- Tendência de moda
Trazer um ar contemporâneo ao look é sempre bem-vindo, sem ser uma vítima da moda. Se o funcionário é ligado ao universo da moda e deseja trazer as tendências para o dia a dia, vale investir em elementos sutis e acessórios. Uma gravata divertida, colares, brincos, lenços, sapatos e bolsas.

5- Avalie o guarda-roupa
Para facilitar o dia a dia, analisar o guarda-roupa e mantê-lo organizado com peças-chave, sem excessos, vale muito. Normalmente, trabalha-se no mínimo cinco dias por semana, então você vai passar a maior parte do seu tempo em atividades profissionais. Assim, 70% das roupas devem ser voltadas para o trabalho, 15% para o lazer, 10% para ficar em casa e 5% para a vida noturna. A maioria das pessoas gasta muita energia fazendo o movimento contrário.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade