Publicidade

Estado de Minas VÍDEO

COVID-19: entenda como vai funcionar a volta às aulas presenciais em BH

Vídeo mostra quais regras sanitárias escolas públicas e privadas de Belo Horizonte devem seguir para o retorno autorizado pela prefeitura da capital


24/04/2021 09:27 - atualizado 24/04/2021 09:50

(foto: Arte/Hudson Franco e Paulo Miranda)
(foto: Arte/Hudson Franco e Paulo Miranda)


Depois de mais de 1 ano de escolas fechadas por causa da pandemia de COVID-19, Belo Horizonte inicia a volta gradual das aulas presenciais nesta segunda-feira (26/04).

O retorno das aulas presenciais começa pela educação infantil em escolas da rede pública e particular. Fizemos este vídeo #PRAENTENDER as regras do protocolo que liberou o retorno dos alunos às salas.

A Secretaria Municipal de Educação definiu que a volta às aulas em BH será feita em etapas, seguindo protocolos sanitários para garantir a segurança de alunos, professores e colaboradores das instituições. O avanço em cada estágio vai depender dos indicadores da pandemia.

Primeira fase

  • As aulas presenciais estão autorizadas somente para crianças de 0 até 5 anos e 8 meses.
  • A definição dessa faixa etária se dá em razão de pesquisas internacionais sinalizarem que as crianças são menos suscetíveis à doença, apesar de não serem imunes.
  • Para se adequar à nova realidade, a escola tem de adaptar os espaços físicos e implantar um sistema de rodízio ao longo da semana, para intercalar a quantidade de alunos nas salas.
  • Os protocolos se adequam a cada faixa etária.


Como será a volta às aulas para a educação infantil: 

Serão formados pequenos grupos de seis ou sete alunos e cada agrupamento terá um professor responsável, respeitando o distanciamento social.

  • A escola deve disponibilizar profissionais que possam orientar as crianças em relação à correta lavagem das mãos na entrada da escola.
  • Cada professor poderá alimentar apenas uma criança por vez.
  • Para bebês de até 1 ano e 11 meses, recomenda-se que o fraldário fique dentro ou contíguo à sala de estimulação
  • É recomendável que as salas para crianças de até 2 anos fiquem livres de mobiliários, sem mesas e cadeiras de uso coletivo e individual
  • Para crianças a partir de 3 anos, utilizar preferencialmente mesas individuais. Se coletivas, as mesas deverão seguir o padrão de refeitório, com as crianças sentadas na extremidade e com distanciamento mínimo de 1,5m entre elas.
  • Para crianças a partir de 4 anos, deverão ser utilizadas mesas individuais ou mesas que seguem o padrão de refeitório
Nas fases seguintes para o retorno presencial, serão atendidos os alunos do ensino fundamental e vão funcionar em duas etapas.

A primeira etapa vai contemplar as crianças do ciclo alfabetizatório, de 6 a 8 anos. A segunda fase, prevê o retorno dos alunos de 9 a 14 anos.

Quais protocolos a escola deve seguir?

As regras contra a COVID-19 começam na portaria das escolas. A unidades de ensino deverão disponibilizar máscara para quem chegar sem ela

  • O uso de máscara só não é obrigatório para crianças com idade inferior a 2 anos, alunos que tenham restrições de saúde para o uso da máscara ou que fazem uso de chupeta.
  • Alunos, professores e funcionários que apresentarem sintomas de Covid-19 não poderão ir à escola e o fato deve ser comunicado à escola.
  • Dentro da escola, todos devem usar máscaras, exceto quando estiverem em momento de alimentação ou hidratação.
  • Profissionais que tiverem necessidade de se aproximar de crianças menores de 2 anos deverão usar também o face shield.
  • O tempo máximo de permanência do aluno na escola será de 4h30 (quatro horas e trinta minutos).

 Quais as regras dentro da sala de aula?

  • A sala de aula terá a capacidade reduzida pela metade, com alunos respeitando o distanciamento de no mínimo 1,5m (1 metro e meio) entre eles e as respectivas carteiras. 
  • Os alunos deverão ter lugares fixos.
  • Será necessário criar corredores de acesso para alunos e professores.
  • As turmas serão divididas em subgrupos, com escala de dias e horários ou turnos de presença para cada um deles.
  • A área para o professor deverá ser delimitada em 2 metros a partir do quadro (parede) e mais 2 metros do limite de sua área de atuação até a primeira carteira do aluno.
  • Subgrupos são importantes porque, se houver infecção de um aluno, os demais subgrupos podem continuar a estudar.

Como serão os intervalos e recreios?

  • As regras determinam intervalos regulares de 15 minutos entre as aulas, para que um grupamento de alunos possa circular em áreas externas, sem contato com outro grupamento de alunos, tomem água, frequentem o sanitário e lavem as mãos.
  • Para sair de sala, os alunos vão obedecer as filas onde estão sentados. A saída começará pelas carteiras e fileiras mais próximas da porta, para evitar aglomerações em escadas e corredores.
  • Será necessária a marcação fixa de horários por turma para uso de banheiros e deverá haver um fiscal em escolas do ensino infantil, fundamental e médio.
  • Na hora do lanche, a regra é priorizar a entrega das refeições em sala de aula. Além disso, alunos serão orientados a evitar conversas enquanto lancham.
  • Caso as refeições sejam feitas em refeitórios, as mesas e bancos deverão ser limpos e higienizados nos intervalos entre as trocas de turmas. Mantendo o distanciamento de 1 metro e meio (1,5m).
  • Se a escola tiver lanchonetes, restaurantes e estabelecimentos comerciais similares, deverá seguir as normas dispostas no protocolo específico de bares, restaurantes.
  • Nos pátios, os equipamentos do playground deverão ser usados por um grupo de cada vez, com higienização entre as trocas de turmas.
  • Vale lembrar que o uso do parquinho será exclusivo para crianças de 3 a 8 anos.
  • Os alunos não poderão levar brinquedos de casa para a escola.
  • As crianças deverão usar máscara, lavar as mãos antes e após o uso do parquinho e seguir, supervisionadas por adultos, as demais medidas de higiene.

Regras para professores e funcionários

  • Professores, diretores, coordenadores e funcionários pertencentes ao grupo de risco não poderão ser convocados para aulas presenciais.
  • As regras determinam a capacitação dos professores e demais colaboradores para a fiscalização das medidas de prevenção e combate à COVID-19.
  • Professores e demais funcionários deverão ser observados e ter sua saúde monitorada para eventual encaminhamento a serviço de tratamento.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, as discussões sobre a segurança e viabilidade das medidas envolvem as ‘comissões de retorno’, formadas por pais, professores, funcionários e um representante da área da saúde em cada escola.

Segundo a Prefeitura de BH, todos os protocolos de segurança serão seguidos e todas as escolas públicas estão preparadas e equipadas com os itens de higiene e proteção.


Leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade