UAI
Publicidade

Estado de Minas CUSTO DE VIDA

Inflação em Uberlândia fica em 0,37% em novembro, puxada pela gasolina

Essa é a segunda menor taxa na cidade em 2021; em janeiro, ficou em 0,27%. Cinco dos nove grupos analisados pela pesquisa da Cepes/UFU tiveram aumento


16/12/2021 15:27 - atualizado 16/12/2021 16:04

carro sendo abastecido em posto de combustível
A inflação de 0,37% foi impulsionada pela alta de 1,61% no item transportes, influenciada pelo aumento dos preços de combustíveis (foto: Reprodução/Internet)
A inflação em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, foi de 0,37% em novembro segundo o Centro de Estudo, Pesquisas e Projetos Econômicos-Sociais da Universidade Federal de Uberlândia (Cepes-UFU).
 
A variação de novembro ficou 0,67% ponto percentual abaixo da taxa registrada em outubro (1,04%). O acumulado no ano é de 7,76%, e, nos últimos 12 meses, de 9,06%.

Cerca de 500 estabelecimentos e 235 subitens compõe os dados coletados pela universidade mensalmente, para registrar as informações do consumo no município do Triângulo.

Inflação por mês em 2021 (em %)

  • Janeiro: 0,27
  • Fevereiro: 0,72
  • Março: 0,70
  • Abril: 0,38
  • Maio: 0,89
  • Junho: 0,48
  • Julho: 0,69
  • Agosto: 0,91
  • Setembro: 1,05
  • Outubro: 1,04
  • Novembro: 0,37
 
Cinco dos noves grupos que movimentam a economia analisados pela pesquisa da Cepes e pelo Índice de Preços do Consumidor (IPC) tiveram aumento de preços.
 
A inflação de 0,37% foi impulsionada pela alta de 1,61% no item transportes, influenciada pelo aumento dos preços de combustíveis.
 
Em seguida, as despesas pessoais puxadas pelos itens de recreação, tiveram 0,43% de aumento; alimentação e bebidas, 0,38%; educação, 0,24%; e habitação com 0,12%.
 
Na contramão, registraram queda nos preços os setores de vestuário (-1,34%), comunicação (-0,62%), artigos de residência (-0,24%) e saúde e cuidados pessoais, com -0,07%, com influência na compra dos produtos de higiene pessoal.

O preço dos produtos que compõem a cesta básica também teve queda, de 1,37%. Em  outubro, havia ficado  2,96% mais cara.

Oito produtos da cesta ficaram mais caros e cinco mais baratos. Veja:
 
Produtos que registraram alta nos preços:
 
Pão: 5,51%
Café: 5,39%
Margarina: 2,73% 
Óleo: 1,83%
Banana: 1,59%
Farinha de Trigo: 1,57%
Carne: 1,37% 
Açúcar: 0,93%

Produtos que registraram queda: 

Tomate: -15,31%
Batata: -8,84%
Leite: -3,55%
Feijão: -2,46%
Arroz: -1,79%
  
O uberlandense que ganha um salário mínimo precisou trabalhar 113 horas e 54 minutos em novembro para conseguir comprar a cesta básica completa, que custou no mês R$ 569,51.
 
Em outubro, o valor da cesta era de R$ 577,43 (com 115 horas e 29 minutos de trabalho essenciais para a compra).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade