Publicidade

Estado de Minas INVESTIMENTO

Área de planta de amônia de Uberaba está à venda; prefeitura tenta barrar

Projeto da Petrobras, iniciado em uma primeira etapa em 2014 e suspenso em 2015, prevê investimentos totais de mais de R$ 2 bilhões


02/06/2021 17:36 - atualizado 02/06/2021 17:44

A planta de amônia de Uberaba fica numa área de 1,1 milhão de metros quadrados, no Distrito Industrial 3 (foto: Reprodução/Internet)
A planta de amônia de Uberaba fica numa área de 1,1 milhão de metros quadrados, no Distrito Industrial 3 (foto: Reprodução/Internet)
Por meio de um anúncio divulgado no site da MGI, estatal vinculada à Secretaria de Estado de Fazenda, o governo mineiro colocou à venda pelo valor de R$ 8.181.000 milhões uma área de 1,1 milhão de metros quadrados que conta com 4 mil metros quadrados de construções, situadas no Distrito Industrial 3 de Uberaba, no Triângulo Mineiro.

Trata-se também do anúncio de um leilão para a venda da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados V (UFN-V), conhecida como planta de amônia de Uberaba.
 
A prefeita de Uberaba, Elisa Araújo (Solidariedade), declarou, no entanto, que tenta suspender o anúncio através de tratativas com o governador Zema e o ministro de  Minas e Energia, almirante de Esquadra Bento Albuquerque.  
 
Elisa falou, em entrevista à Rádio JM na manhã desta quarta-feira (2/6), que, para tentar reverter a situação, já foi enviado um pedido para que o estado suspenda a venda da área do projeto.

“Ainda não consegui falar com o governador, mas ainda hoje (nesta quarta-feira) vou ligar para ele para falar sobre isso e acredito que ele vai ter o compromisso sim com Uberaba”, explicou a prefeita.
 
Além disso, Elisa Araújo declarou que durante a sua recente agenda oficial em Brasília se encontrou com o ministro Bento Albuquerque. “Relatei a ele a importância do gasoduto para o desenvolvimento estrutural do nosso país e que passa por Uberaba, falando sobre o interesse de grupos de investidores nacionais de tirar de vez do papel este projeto. Fui recebida com muita boa vontade do governo federal nesse sentido. O almirante Bento me deu notícias muito positivas."
 
Segundo ela, o estudo e o projeto já estão prontos. "Só falta mesmo boa vontade política para que a gente possa junto com os investidores da iniciativa privada viabilizar esse projeto estrutural para o desenvolvimento do Brasil", disse a prefeita.
 
"O mais importante é o governo federal liberar a área por onde passará o gasoduto e isso eu tive o compromisso do almirante Bento. Então o governo federal já está comprometido com o projeto”, contou.
 
Com relação à concretização da venda do terreno da planta de amônia de Uberaba pelo estado, a prefeita disse que está mobilizada desde o início quando foi cogitada a possibilidade dessa planta ir a leilão.

“Queremos retirar este imóvel para que a gente possa viabilizar a parceria com investidores privados para que realmente a gente coloque em ação essa tão famosa planta de amônia e de ureia. Então, a gente aguarda um posicionamento do estado e já temos alguns investidores. Fomos procurados por grupo de investidores interessados em viabilizar o gasoduto e a planta de amônia. Estamos com tratativas com o estado e com este grupo de investidores”, finalizou.
 

O projeto da Petrobras foi orçado em cerca de R$ 2 bilhões

 
Com o objetivo de alavancar a produção de fertilizantes em uma das principais regiões agrícolas do país, em 2014 foi iniciada nessa área colocada à venda pelo estado a primeira etapa da planta de amônia e de ureia de Uberaba, projeto da Petrobrás, por meio do consórcio Toyo Setal Fertilizantes.

Mas, em 2015, os trabalhos foram suspensos com cerca de 30% de execução das obras, sendo que já foram investidos aproximadamente R$ 1 bilhão.
 
As obras do projeto, orçadas no valor de cerca de R$ 2,1 bilhões, seriam custeadas por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e também incluiria a passagem de um gasoduto, com saída da cidade de São Carlos (São Paulo), passando pelo Triângulo Mineiro até o estado de Goiás.
 

Anúncio da venda da área da planta de amônia

 
No anúncio de venda da área da planta de amônia de Uberaba, o estado diz que “a região onde se encontra o terreno é dotada de todos os melhoramentos públicos e serviços comunitários, quais sejam, abastecimento d’água, rede de esgoto, energia elétrica em alta e baixa tensão, rede de águas pluviais, iluminação pública, rede de telecomunicações, pavimentação asfáltica, guias e sarjetas, arborização, transporte coletivo, serviços públicos de coleta de lixo, segurança pública, dentre outros”.
 
Os interessados têm até 15 de julho para enviar propostas, segundo o anúncio.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade