Publicidade

Estado de Minas MAIS CARO

Preço do pão fracês varia até 90% em Belo Horizonte, aponta pesquisa

Levantamento do Mercado Mineiro, divulgou nesta segunda-feira, mostra grande diferença no preço do alimento, dependendo da região onde a padaria é localizada


10/05/2021 10:00 - atualizado 10/05/2021 12:59

Em regiões no Sul da capital, o quilo do pãozinho pode chegar a custar até R$ 19,85(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Em regiões no Sul da capital, o quilo do pãozinho pode chegar a custar até R$ 19,85 (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
O quilo de um dos itens mais comuns da mesa do café da manhã dos brasileiros está cada vez mais caro em Belo Horizonte e Região Metropolitana. O site de pesquisa de preços Mercado Mineiro apontou que, atualmente, o pão francês pode ser comprado nas padarias dos municípios por R$ 10,49 até R$ 19,85, uma diferença de 90% no valor.

O levantamento foi realizado pelo portal de 6 a 7 de maio. As padarias onde foram encontrados os preços mais altos estão na Região Sul de BH e os mais baixos na Região Leste e em cidades metropolitanas, como Betim. A diferença do preço do quilo do pão de doce é ainda mais alto que o tradicional pãozinho francês. Atualmente, ele pode custar entre R$ 10,49 até R$ 32,40, uma variação de 208%.

Segundo o presidente da Associação Mineira da Indústria de Panificação (AMIP), Winicius Dantas, a justificativa para essa grande variação no valor do alimento está principalmente na composição de custos mais altos que padarias de regiões nobres da cidade utilizam em comparação com os outros estabelecimentos, o que gera um efeito nos valores dos produtos que são vendidos no local. 
 
“O preço do aluguel de uma padaria na zona sul é muito diferenciado. A composição hoje já não está mais somente no custo da farinha, tem o uso do vale transporte, por exemplo. Em uma padaria periférica os vizinhos são os funcionários. Os estabelecimentos da região sul têm o hábito dos funcionários utilizarem até três vales transportes para chegarem ao trabalho e para ir embora, o que gera um custo maior”, disse o presidente.
 
De acordo com Winicius, até mesmo os custos com matérias primas que são usadas pelas panificadoras para atrair seus clientes impactam no valor final pago pelo morador. “Na zona sul tem também o gasto de uma embalagem diferenciada, com um custo maior. Na periferia, geralmente, são embalagens que não têm nem a marca do estabelecimento. Padarias que estão mais centralizadas têm às vezes uma cobrança muito maior. Quando você coloca tudo isso na planilha de custos, tem um peso muito alto”, disse.
 
O gestor do Mercado Mineiro, Feliciano Abreu, afirma que os preços dos produtos nas padarias estão diretamente ligados ao perfil do consumidor local, porém, mesmo que o custo seja justificado, não é isso que determinará na qualidade dos alimentos vendidos. 
 
“É muito em função do poder aquisitivo de cada população e região. O custo de uma padaria na zona sul geralmente é mais caro. Pela visão do consumidor, não tem como cravar qual pão ou farinha de uma padaria é melhor. Realmente tem essa diferença, mas sempre dizemos para o consumidor que ele tem que avaliar o que é bom para ele. Conheço pães de padaria de periferia que são de excelente qualidade”, disse o diretor. 
 
Em apenas um ano, a média do custo do quilo do pão de sal subiu de R$ 13,98 para R$ 15,15, um aumento de 8,6%. O responsável pela pequisa ressalta que a população deve ficar atenta com essa subida de valores para que os gastos não pesem no fim do mês.

"Nós entedemos que o dólar influencia bastante. O próprio trigo no mercado internacional e o leite subiram bastante. Porém, sendo sincero, no geral não aumentou tanto quanto nos outros estabelecimentos, mas o consumidor tem que ficar atento. Até no pãozinho temos que pesquisar. Aquele gasto de R$ 10,00 a R$ 15,00 vai somando no ano e na ponta do lápis pesa muito", relatou Feliciano.

Ainda conforme a pesquisa do Mercado Mineiro, uma parada na padaria em Belo Horizonte pela manhã também pode custar mais dependendo do lugar. O pão com manteiga, por exemplo, pode valer de R$ 1,65 a R$ 2,80, uma variação 70%. Já o café com leite pode ser comprado por R$ 1,50 a R$ 3,90, uma variação de 160%. E o cafezinho sai de R$ 1,00 a R$ 1,95, uma variação 95%. 
 
A pesquisa completa pode ser conferida no site da instituição
 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade