Publicidade

Estado de Minas INVESTIMENTOS

Aymoré comemora centenário com expansão e criação de 200 vagas

Marca planeja investimentos de R$ 10 milhões na fábrica em Contagem, ampliação de sua linha de produtos e do quadro de funcionários


31/01/2021 11:01 - atualizado 01/02/2021 14:14

A planta de Contagem possui atualmente cerca de 900 funcionários e deve ganhar mais 200 nos próximos meses(foto: Arcor do Brasil/Divulgação)
A planta de Contagem possui atualmente cerca de 900 funcionários e deve ganhar mais 200 nos próximos meses (foto: Arcor do Brasil/Divulgação)
Uma marca tradicional em grande parte do país e em toda Minas Gerais, a Aymoré está expandindo a linha de produção de sua fábrica em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Para isso, está investindo mais de R$ 10 milhões nesta planta e abriu cerca de 200 postos novos de trabalho, o que representa mais de 20% do atual quadro de funcionários.
 
Apesar da crise mundial causada pela pandemia de COVID-19, a marca aposta no crescimento do setor e, dentro do Grupo Arcor, esse é o maior investimento.

“No momento de incertezas, o consumidor compra o que se sente seguro. Este investimento vem de encontro em melhorias, em aumento da tecnologia e investimento em novas linhas de produção. Vamos entrar em novos segmentos neste ano. Uma marca que se renova daqui a dois, três anos e que começa seu plano de expansão”, analisa Anderson Freire, diretor de Marketing, Pesquisa e Desenvolvimento da Arcor do Brasil.
 
Atualmente, a fábrica em Contagem produz cerca de 50 produtos diferentes e, para comemorar os 100 anos da Aymoré, a empresa mostra que o momento é de crescimento e aposta na unidade mineira. 
 
“Uma companhia não faz um investimento dessa envergadura se não pensa em um futuro promissor. Daqui a três anos a marca faz 100 anos e o investimento é o primeiro desse centenário da Aymoré em Minas Gerais. É importante resgatar o orgulho de ser mineiro. Apostamos muito no potencial crescente da marca no Estado. Nosso plano para comemoração de 100 anos é retribuir o carinho da população mineira com nossa marca. E faremos isso não apenas com lançamentos de produtos, mas também gerando empregos, já que a Aymoré é um património de Minas”, ressaltou Freire.
 
Em Contagem, são produzidos cerca de 50 produtos e intenção do grupo é ampliar a gama de marcas(foto: Arcor do Brasil/Divulgação)
Em Contagem, são produzidos cerca de 50 produtos e intenção do grupo é ampliar a gama de marcas (foto: Arcor do Brasil/Divulgação)
Há oportunidades abertas para vários cargos, como analista trade marketing, líder de promoção, promotor de vendas, técnico em elétrica e em mecânica. A empresa não informou a média salarial, mas entre os benefícios estão vale alimentação, refeição no local, plano odontológico, assistência médica, convênio farmácia, seguro de vida e participação nos lucros.
 
As inscrições para as vagas, assim como a descrição das atividades de cada cargo e seus pré-requisitos estão disponíveis no site https://arcor.gupy.io/.

História da Aymoré

A marca Aymoré nasceu no Rio de Janeiro na década de 1920. No ano de 1924 foi fundada a fábrica de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
 
Na década de 1940, sob a gestão da empresa paulista Refinações de Milho Brasil S.A., a marca Aymoré passou a ser conhecida também no estado de São Paulo. Na década seguinte, a família Ballesteros inaugurou, em Contagem, a fábrica Produtos Alimentícios Cardoso S.A., que começaria a dominar o mercado mineiro.  
 
A empresa adquiriu todo o maquinário, as marcas e as patentes da Rodolpho Grissi & Cia. Ltda. e passou a produzir balas. Para crescer nesse setor, a Cardoso S.A. adquiriu também as máquinas de balas e caramelos da Produtos Alimentícios Morro Velho S.A.
 
Em 1970, a Cardoso S.A. incorporou a indústria Massas Aymoré e passou a se chamar somente Aymoré. Uma década depois, a Aymoré comprou os terrenos e galpões da J.A.F. Duarte e Viaturas Fruenhauf Ltda., em Contagem, e incorporou a fábrica de biscoitos Colombo Ltda. Adquiriu também, para expandir suas instalações, terrenos em Montes Claros e a Dunchen, com todos seus equipamentos.  
 
Em 1990, a Aymoré continuou adquirindo diversas indústrias e, com isso, a marca passou a contar com cerca de 4 mil funcionários. Em 1997, a família Ballesteros vendeu completamente a Aymoré para a Danone. 
 
Nos anos 2000, a unidade de Severino Ballesteros foi concluída pela nova proprietária Danone, tendo se tornado, na época, uma das fábricas mais modernas do mundo, com tecnologia e equipamentos de última geração. A Aymoré continuou crescendo e entra na mídia, ganhando, durante toda a década, o prêmio Top of Mind.

Em 2005, os grupos Arcor e Danone anunciaram uma aliança para fundir as suas atividades no ramo de biscoitos na Argentina, no Brasil e no Chile, criando a maior empresa do setor da América do Sul.  
 
Em 2017, a empresa lançou a embalagem comemorativa UAImoré. Três anos depois, passou por uma revitalização da marca, com mudança de embalagens construída junto ao público mineiro através de pesquisa. O resultado apresentou um novo logo para Aymoré. Neste mesmo ano, a marca se abriu para outros segmentos, como chocolates e guloseimas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade