Publicidade

Estado de Minas Inadimplência

Endividamento das famílias brasileiras é recorde, diz pesquisa

Pandemia de COVID-19, falta de planejamento financeiro e consumismo estão entre as principais causas


30/09/2020 21:55 - atualizado 30/09/2020 22:30

Especialista destaca a importância de se fazer uma reserva financeira de emergência(foto: Divulgação/Letra Comunicação e Marketing)
Especialista destaca a importância de se fazer uma reserva financeira de emergência (foto: Divulgação/Letra Comunicação e Marketing)
A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), publicada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), apontou que, em julho deste ano, o número de famílias com dívidas no Brasil alcançou o recorde ao chegar em 67,4%

Isso é reflexo da crise financeira mundial causada, principalmente, pelo surto do novo coronavírus. Mas, para o educador financeiro Sílvio Azevedo, a pandemia não é a única responsável pela dificuldade enfrentada pelas famílias.

Segundo ele, a falta de sabedoria para lidar com as finanças leva à perda de controle. “Infelizmente, essa é uma realidade que ainda faz parte da cultura nacional e precisa ser repensada urgentemente. A pandemia evidenciou os riscos da falta de planejamento. Muitas pessoas vivem pensando apenas em necessidades do presente e não sabem como poupar corretamente, investir seus ganhos, traçar um plano e criar estratégias para conseguir lucrar em longo prazo", alerta.

Silvio Azevedo completa: "E o mais importante para momentos como o atual: não conhecem a importância de uma reserva financeira de emergência. Isso abala não só as famílias em si, como todo o sistema econômico do país”.
 

Alerta para o consumismo


Além da má administração da renda, outro fator que influencia muito para a desordem financeira é o consumismo exagerado.

A maioria dos brasileiros não planeja as compras e termina o mês em uma onda de dívidas.

O educador alerta que é necessário um planejamento correto dos gastos com o hábito de sempre ter uma reserva emergencial para imprevistos.

Disse ainda que, caso contrário, os brasileiros cada vez mais procurarão por crédito e continuarão inadimplentes.
 

Como evitar as dívidas

 
De acordo com o especialista, a maneira de evitar uma situação de endividamento é investir na educação financeira, sobretudo, saber como e para que utilizar o dinheiro.

“Nunca é tarde para dar início a esse aprendizado. Comece pelo básico: planejamento de gastos, uma poupança para garantir um fundo de emergência, investimentos com responsabilidade, entre outros. Além disso, passe esse conhecimento adiante, ensine à família a importância dessas características, saiba dizer ‘não’ quando necessário e analisar o que pode ser um investimento para o futuro”, orienta.

*Estagiário sob supervisão da subeditora Kelen Cristina


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade