Publicidade

Estado de Minas Pandemia do coronavírus

Feira Hippie volta a funcionar em BH neste domingo; veja o protocolo

As feiras de Bebidas e Comidas Típicas e das Flores, ambas realizadas na Avenida Carandaí, também poderão retomar o funcionamento


25/09/2020 04:00 - atualizado 25/09/2020 08:49

Preparada para retomar vendas, a artesã Dorinha Saldanha se preocupa com a propagação do vírus (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Preparada para retomar vendas, a artesã Dorinha Saldanha se preocupa com a propagação do vírus (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
Suspensa desde março, a Feira de Arte, Artesanato e Produtores de Variedades da Avenida Afonso Pena, conhecida como Feira Hippie, poderá voltar a funcionar neste domingo. As feiras de Bebidas e Comidas Típicas e das Flores, ambas realizadas na Avenida Carandaí, nas proximidades da área hospitalar de Belo Horizonte, também poderão retomar o funcionamento. Em decreto publicado ontem no Diário Oficial do Município, a prefeitura estabelece as regras que comerciantes e frequentadores devem seguir para evitar a transmissão do novo coronavírus.

Para atender às normas sanitárias, a feira ocupará espaço maior, que se estenderá desde a Praça Sete, no quarteirão entre as ruas Carijós e Rio de Janeiro, à Rua dos Guajajaras, ainda na região Central da cidade. O setor de alimentação funcionará na Rua Espírito Santo, entre a Avenida Afonso Pena e a Rua dos Carijós, e vai ocupar um outro trecho na Avenida Álvares Cabral, entre a Avenida Afonso Pena e a Rua Goiás.

Os principais cuidados a ser observados incluem o uso obrigatório de máscara por os feirantes e frequentadores; higienização das mãos dos visitantes todas as vezes que requisitarem uma mercadoria e a proibição dos provadores. Além disso, os comerciantes ficam responsáveis por direcionar as filas e demarcar os espaços para evitar aglomerações, observando o distanciamento de 2 metros entre as pessoas. Shows de música ao vivo, dança e apresentações teatrais não serão permitidos, devido ao poder de provocar concentração de pessoas.

No setor de alimentação, os cuidados na manipulação dos alimentos deverão ser reforçados. As pessoas não poderão consumir comidas e bebidas no entorno das barracas. O serviço só poderá ser prestado à clientes assentados e as mesas e cadeiras terão de ser higienizadas, após a troca de clientes.

Para os expositores, o sentimento que resume a volta da feira é de alívio. “É tanta felicidade ver meus amigos e voltar a ganhar o pão de cada dia”, conta Maria das Dores Fernandes Saldanha de Andrade. Com a voz embargada, ela explica que trabalha na feira desde menina vendendo objetos de decoração. “Quero ver meus amigos, dar um ‘tchau’ nem que seja de longe.”

Conhecida pelos colegas como “Dorinha”, a expositora não vê a hora de chegar domingo para atender os clientes mais uma vez. Embora acredite que a feira tenha voltado em melhor cenário da pandemia do novo coronavírus, ela também se preocupa com a disseminação da doença.

A despeito da permissão de retomada da feira hippie, parte dos artesãos não poderão voltar à rotina dominical por pertencer ao grupo de risco da COVID-19. É o caso de Luís Cláudio de Almeida, que expõe seus arranjos de flores no local há 43 anos. “A princípio, não tenho condições de voltar. É uma situação que vai acontecer com alguns, pois muitos idosos trabalham lá”, conta. Ele participa da Comissão Paritária de representação oficial dos feirantes junto à Prefeitura de BH. O expositor diz que tem observado muitos colegas entusiasmados com o retorno e ao mesmo tempo preocupados com a segurança.

*Estagiária sob supervisão da subeditora Marta Vieira

PROCEDIMENTOS


Confira algumas das medidas de prevenção contra a COVID-19 definidas para a feira

  • Em barracas ligadas, é recomendável, para segurança dos expositores, o uso de dispositivo de proteção feito de material resistente e de fácil higienização, para o correto isolamento

  • Os feirantes devem disponibilizar recipientes com álcool 70% em cada barraca e nos locais de alimentação

  • O uso de máscaras de proteção é obrigatório por feirantes e frequentadores da feira durante todo o período de permanência, exceto no momento da alimentação

  • Feirantes em contato direto com o público devem usar máscara e protetor facial

  • Higienizar as mãos dos visitantes a cada vez que eles forem requisitar uma mercadoria

  • Cobrir as máquinas de pagamento com cartões com filme plástico, para facilitar a higienização após o uso

  • Equipamentos de proteção e máscaras não podem ser compartilhados

  • Os feirantes não podem comparecer à feira em caso de contaminação ou suspeita de ter contraído a COVID-19. Nesse caso, devem se dirigir para atendimento em uma unidade de saúde

  • Cabe aos feirantes direcionarem as filas e demarcar posições para evitar aglomerações, respeitando o distanciamento de dois metros entre as pessoas

  • É proibido o uso de provadores, atividades de entretenimento que possam provocar aglomerações, como música ao vivo, dança, apresentações teatrais, projeção de imagens e a permanência de pessoas que não estejam em atividades de compras na feira


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade