Publicidade

Estado de Minas

Efeito coronavírus: turistas são barrados em cruzeiros

Empresas de turismo, alimentos e tecnologia anunciam medidas após o avanço da epidemia no mundo. Microsoft revê balanço e expectativa de queda nas vendas


postado em 27/02/2020 04:00 / atualizado em 27/02/2020 08:26

Dada a evolução do surto na Itália, Costa Cruzeiros decidiu proibir embarque de passageiros vindo das regiões afetadas(foto: Costa Cruzeiros/Divulgação)
Dada a evolução do surto na Itália, Costa Cruzeiros decidiu proibir embarque de passageiros vindo das regiões afetadas (foto: Costa Cruzeiros/Divulgação)

A Costa Cruzeiros anunciou nessa quarta-feira (26) que vai ampliar as medidas de precaução em sua frota para garantir a segurança de hóspedes e tripulação em virtude do surto de coronavírus.

Devido ao atual surto do vírus em várias cidades italianas, a Costa Cruzeiros também decidiu negar o embarque a qualquer pessoa originária das seguintes cidades: Casalpusterlengo, Codogno, Castiglione D'Adda, Fombio, Maleo, Somaglia, Bertonico, Terranova dei Passerini, Castelgerundo e San Fiorano, na região de Lodi, na Lombardia, e na cidade de Vò Euganeo, situada em Pádua, na região de Veneto.

Outras cidades poderão ser adicionadas à lista publicada pelo Ministério da Saúde Italiano.

A Costa Cruzeiros está entrando em contato com os passageiros residentes nestas cidades, diretamente ou por meio das agências de viagens, para informar sobre essa decisão e os procedimentos para obter o reembolso total.Dada a rápida evolução do surto, essa restrição também será estendida a todas as áreas incluídas no alerta emitido pelo Ministério da Saúde Italiano e pelas autoridades sanitárias relevantes. Além disso, nenhuma das excursões disponíveis aos hóspedes da Costa incluirá visitas às regiões de Piemonte, Lombardia e Veneto.

Também está a proibição da entrada de pessoas que tenham viajado para China, Hong Kong, Macau e mais 12 cidades da Itália nos 14 dias que antecedem o embarque."O mesmo procedimento se aplica a qualquer pessoa que tenha tido contato com casos suspeitos ou confirmados de coronavírus, e para os quais tenham sido feitas declarações às autoridades sanitárias competentes", diz a empresa em comunicado.

Todos os hóspedes, visitantes e tripulantes vão receber um questionário médico específico para melhor avaliar as condições para o embarque, além de processo de temperatura corporal. Qualquer pessoa com uma temperatura corporal acima de 37,8 ºC terá o acesso ao navio negado.

A companhia também decidiu suspender as viagens e atividades turísticas de quatro navios que eles operam exclusivamente na China, até meados de março. "Os hóspedes afetados pelos cancelamentos serão reembolsados ou poderão optar por mudar a viagem para outro período."

VIAGENS


A Nestlé pediu que seus funcionários em todo o mundo suspendam temporariamente viagens internacionais de negócios, por causa da disseminação do coronavírus. A companhia, que emprega cerca de 291 mil pessoas e vende seus produtos em 187 países, pediu que as viagens sejam suspensas até 15 de março, disse uma porta-voz.
As viagens domésticas também devem ser reduzidas, e substituídas por ligações telefônicas ou videoconferências quando possível. "Levamos a sério nossa responsabilidade em relação aos funcionários e às comunidades onde operamos", disse a porta-voz.

BALANÇO


A Microsoft afirmou em comunicado que precisou atualizar sua expectativa para o resultado de seu terceiro trimestre fiscal de 2020. Segundo a companhia, o guidance antes informado para o segmento de Computadores Pessoais não será atingido, em meio a problemas como uma demora maior do que a esperada para a volta ao normal das operações em suas cadeias de suprimento.

Por outro lado, a Microsoft diz que a demanda pelo Windows segue "forte", em linha com suas expectativas. Além disso, a empresa informou que todos os outros componentes para seu guidance para o terceiro trimestre fiscal seguem inalterados.

A Microsoft ressalta que atuará para garantir a segurança de seus funcionários, clientes e parceiros "durante este período difícil". Ela diz que "monitora de perto" o impacto da "emergência de saúde" do coronavírus. Na nota, ainda comenta que continua a fazer doações para os esforços na resposta ao surto da doença, inclusive fornecendo diretamente tecnologia para ajudar hospitais e trabalhadores do setor de saúde.

Em 29 de janeiro, como parte de sua teleconferência após balanço, a Microsoft informou que seu segmento de Computadores Pessoais teria receita entre US$ 10,75 bilhões e US$ 11,15 bilhões no terceiro trimestre fiscal, "o que incluía uma faixa maior do que a usual relacionada à incerteza sobre a situação de saúde pública na China". Agora, a companhia avisa que não espera mais cumprir essa meta, embora não tenha mencionado um novo guidance em seu comunicado dessa quarta-feira (26).



Publicidade