Publicidade

Estado de Minas MERCADO FORMAL DE TRABALHO

Fôlego do comércio salvou empregos


postado em 20/12/2019 04:00 / atualizado em 19/12/2019 23:34

O comércio e as empresas de prestação de serviços compensaram as quedas do emprego em todos os outros setores em novembro (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u2013 3/7/18)
O comércio e as empresas de prestação de serviços compensaram as quedas do emprego em todos os outros setores em novembro (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press %u2013 3/7/18)




Puxado pelo bom desempenho dos setores de comércio e prestação de serviços, o mercado de trabalho brasileiro criou 99.232 empregos com carteira assinada em novembro, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados ontem pelo Ministério da Economia. Esse foi o oitavo mês consecutivo de abertura de vagas formais e o melhor resultado para novembro desde 2010, quando foram abertos 138.247 posto de trabalho.

O saldo de novembro decorre de 1,291 milhão de admissões e 1,192 milhão de demissões. Em novembro do ano passado, houve abertura líquida de 58.664 vagas, na série sem ajustes sazonais. Em Minas Gerais, que teve o quinto melhor saldo de vagas no Brasil em novembro, houve 145.548 admissões e 137.076 dispensas, com diferença de 8.382 empregos formais.

No acumulado de janeiro a novembro de 2019, o saldo do Caged foi positivo em 948.344 vagas, melhor desempenho para o período desde 2013, quando a abertura de vagas chegou a 1,546 milhão, na série com ajustes. Em 12 meses até novembro, houve abertura de 605.919 postos de trabalho.

O resultado do mês foi influenciado pelo comércio, que gerou 106.834 postos formais, seguido pelo setor de serviços, que abriu 44.287 vagas de trabalho. Já os serviços industriais de utilidade pública abriram 419 oportunidades em novembro.

O desempenho de comércio e serviços foi mais que suficiente para compensar o fechamento de vagas em praticamente todos os outros setores no mês. A indústria fechou 24.815 vagas, seguida por agropecuária (-19.161), construção civil (-7.390), administração pública (-652) e extração mineral (-290).

Rendimentos 

O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada teve aumento real de 0,96% em novembro de 2019 ante o mesmo mês de 2018, para R$ 1.592,26, segundo dados do Caged. Na comparação com outubro deste ano, porém, houve queda de 0,74%, informou o Ministério da Economia. Já o menor salário médio de admissão foi registrado na agropecuária, de R$ 1.372,93. 

Demissões na Embraer 

Cerca de 100 funcionários da Embraer foram demitidos na quarta-feira, segundo informações do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP). Parte deles não estavam dispostos a se mudar para Gavião Peixoto, distante 315 quilômetros de São Paulo, cidade em que a fabricante brasileira de aviões manterá uma de suas fábricas. A maior unidade da empresa, em São José dos Campos, será transferida para a Boeing assim que for concluída a venda de 80% da divisão de aviões comerciais da Embraer para a companhia americana. De acordo com o sindicato, apenas em dezembro, houve 300 desligamentos.



McDonald’s abre 3 mil vagas
A rede de comida rápida McDonald’s anunciou a abertura de 3 mil vagas neste fim de ano, em todo o país, sendo cerca de 200 a serem preenchidas por pessoas com deficiência. Com investimentos superiores a R$ 40 milhões em treinamento e ações de desenvolvimento profissional, a companhia segue como referência em primeiro emprego para os jovens. Em Minas Gerais, o McDonald's mantém cerca de 2,5 mil empregos diretos, sendo mais de 1,2 mil em Belo Horizonte. Para concorrer às vagas, os candidatos devem estar cursando ou já ter concluído o ensino médio. Mais informações sobre a seleção podem ser buscadas no site www.mcdonalds.com.br
/trabalhe-conosco.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade