Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Cobre fecha sem direção única, com negociações entre EUA e China no radar


postado em 25/11/2019 15:41

Os contratos futuros do cobre fecharam sem sinal único nesta segunda-feira, com o mercado atento aos desdobramentos da guerra comercial sino-americana.

O cobre para dezembro teve leve queda de 0,02%, a US$ 2,6475 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), e o cobre para três meses registrou alta de 0,22%, a US$ 5.868,00 a tonelada, na London Metal Exchange (LME).

O otimismo com as negociações comerciais entre chineses e americanos ganhou impulso hoje com uma informação do jornal Global Times, baseada na análise de um especialista da Academia Chinesa de Ciências Sociais, de que Estados Unidos e China alcançaram "amplo consenso" para a chamada "fase 1" do acordo comercial entre os dois países.

No fim de semana, o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, Robert O'Brien, havia afirmado que "ainda é possível que EUA e China fechem um acordo comercial preliminar antes do fim do ano". Já Pequim, segundo a Bloomberg, divulgou diretrizes com penas maiores para violações de direitos de propriedade intelectual, um dos principais pontos de discordância entre a China e os EUA.

Apesar de os últimos desdobramentos da guerra comercial terem apoiado o cobre em Londres, segundo analistas do banco holandês ING, "o otimismo inicial em torno do progresso nas negociações comerciais diminuiu um pouco, pelo menos quando analisamos a posicionamento especulativo do cobre".

Entre outros metais básicos negociados na LME, o alumínio fechou em queda de 0,17%, a US$ 1.736 a tonelada, o chumbo caiu 1,58%, a US$ 1.935 a tonelada, o níquel registrou alta de 0,31%, a 14.490 a tonelada, e o estanho avançou 0,73%, a US$ 16.470 a tonelada.


Publicidade