Publicidade

Estado de Minas JORNALISMO

Reportagens do EM são premiadas


postado em 19/11/2019 04:00

O Estado de Minas foi vencedor do primeiro prêmio CORI – MG de Jornalismo, promovido pelo Colégio Registral Imobiliário de Minas Gerais. O Concurso teve como vencedor o repórter Luiz Ribeiro, com a série de reportagens “País dos sem escrituras”, sobre a importância da regularização de imóveis em Minas e no país, publicada pela editoria de Economia, entre os dias 27 e 30 de julho passado. O jornal também é um dos premiados na edição de 2019 do prêmio de jornalismo da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo). A reportagem especial “Mobilidade x Modernidade – Para Onde Vamos”, ficou em segundo lugar na categoria Motocicletas – Impresso e Digital.

No prêmio CORI, o EM foi o ganhador na categoria Texto, que inclui matérias publicadas no imprenso e digital. A série de reportagens mostrou que cerca de 50% dos imóveis no Brasil têm algum tipo de irregularidade. São 60 milhões de domicílios urbanos, sendo 30 milhões irregulares, dos quais 3 milhões em Minas. O trabalho de investigação jornalística mostrou que a “informalidade” nos imóveis causa prejuízos de bilhões de reais ao país na sonegação de impostos e nas perdas para a economia em geral.

Abordou também as vantagens da regularização fundiária viabilizada pela Lei da Reurb b (regularização fundiária urbana), mostrando o trabalho que vem sendo feito em Minas Gerais para legalização dos terrenos. A série de reportagens focalizou o município e Mirabela, conhecida como a “Terra do Santo”, tem em vista que grande parte dos imóveis da cidade foi doada para São Sebastião no fim do século 19. Outro tema focalizado na série foi o problema da falta de registro de imóveis pelas famílias atingidas pela tragédia de Brumadinho.

Abraciclo De autoria do repórter Guilherme Paranaiba, do repórter fotográfico Paulo Filgueiras, dos ilustradores Quinho e Lelis, e dos infografistas Soraia Piva, Janey Costa e Paulinho Miranda, a reportagem especial abordou os impactos dos aplicativos de transporte para a mobilidade de Belo Horizonte, incluindo discussões sobre carros, motos, bicicletas, patinetes, ônibus e táxis. O prêmio contou com 300 reportagens inscritas em quatro categorias e foi entregue no início da tarde de ontem, no Salão Duas Rodas, em São Paulo.

A mesma série de reportagens venceu o Prêmio CNT de Jornalismo, na categoria Impresso. A entrega da premiação será em 4 de dezembro, durante cerimônia em Brasília (DF). O Prêmio CNT de Jornalismo é um dos mais tradicionais do Brasil e, ao longo de duas décadas e meia, inseriu o tema de transportes no cotidiano das redações brasileiras. A premiação leva em conta aspectos como relevância para o setor de transporte, para o transportador e para a sociedade, a qualidade editorial, a criatividade e a originalidade e a atualidade dos temas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade