Publicidade

Estado de Minas

Banco do Nordeste registra seu maior lucro líquido em um semestre

A instituição tem uma carteira que atingiu 4,5 milhões de clientes


postado em 13/08/2019 20:00

O resultado operacional do BNB nos seis primeiros meses é de R$ 1,1 bilhão(foto: Wikimedia Commons/Divulgação )
O resultado operacional do BNB nos seis primeiros meses é de R$ 1,1 bilhão (foto: Wikimedia Commons/Divulgação )
O Banco do Nordeste (BNB) contratou R$ 18,8 bilhões em operações de crédito nos seis primeiros meses  de 2019, com um  lucro líquido no período  de R$ 744,8 milhões, o maior da história da instituição para um semestre.  O lucro é 223% maior do que no mesmo período do ano passado e o montante contratado representa crescimento de 8,2% em comparação com o resultado apurado de janeiro a junho de 2018. Os números estão no balanço financeiro da instituição, a ser publicado nesta quarta-feira. 
 
O resultado operacional do BNB nos seis primeiros meses é de R$ 1,1 bilhão. O valor é 161,1% maior do que no mesmo período de 2018 e decorre do aumento do volume de contratações e desembolsos aliado à redução do aprovisionamento para risco de crédito e redução de despesas administrativas. A instituição tem uma carteira que atingiu 4,5 milhões de clientes. 
 
Em Minas Gerais, onde atua no Norte de Minas e no Vale do Jequitinhonha, o  Banco do Nordeste aplicou R$ 917,7 milhões de janeiro a junho de 2019, com 122,8 mil operações de crédito contratadas.  O microcrédito é um dos destaques no período, com R$ 326,8 milhões destinados a esse segmento da economia.
 
O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Carneiro Rolim, credita o crescimento do resultado ao propósito de tornar o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), operado exclusivamente pela instituição, cada vez mais relevante para sua área de atuação, que inclui os 10 estados nordestinos e o norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo - e, consequentemente, para o país.
 
Rolim ressalta que além da melhoria do atendimento e da expansão  da carteira de clientes em todos os 1990 município na área onde atua, o BNB vem investindo nas busca da eficiência na gestão do uso dos recursos disponíveis na redução das despesas administrativas. "De fato, esse objetivo move cada um dos que fazem a organização. Tal nível de comprometimento institucional, com foco na eficiência, na eficácia e na conformidade, refletiu-se nos resultados do primeiro semestre deste ano, os quais mostram como a empresa desempenha papel fundamental na promoção do bem-estar das famílias e na competitividade das empresas”, afirmou o presidente do Banco do Nordeste. 
 
“Muito mais que números, o importante é o impacto positivo que cada uma das linhas de crédito e das políticas de desenvolvimento promovem, com geração de emprego, renda e qualidade de vida para milhões de pessoas", destaca Rolim. Ele salientou que a instituição mantém as perspectiva  de crescimento no segundo semestre, com a previsão de alcançar, até até o final do ano,  o patamar de R$ 38,7  bilhões  nas contratações de operações de crédito, R$ 27,7 bilhões com recursos do FNE e R$ 11 bilhões destinados ao microcrédito urbano, por meio do Crediamigo.
 
Aplicados R$ 13,4 bilhões pelo FNE até junho
 
Nos seis primeiros meses de 2019, foram contratadas pelo BNB  mais de 2,5 milhões de operações de crédito. Só com recursos do FNE, o Banco do Nordeste liberou R$ 13,4 bilhões de financiamentos, distribuídos em mais de 250 mil contratos, gerando um resultado  8,9% superior ao do primeiro semestre de 2018.
 
Para investimentos de infraestrutura, foram destinados R$ 5,7 bilhões no período. "Trata-se de um reforço do apoio do BNB à retomada da atividade econômica regional, com financiamento a empreendimentos nos segmentos de energia, saneamento básico e de água e aeroportos, por exemplo",  assegura Romildo Rolim. 
 
Ele destaca que  instituição tem o objetivo estratégico de ser o principal agente financeiro das micro e pequenas empresas em sua área de atuação e contratou R$ 1,7 bilhão até junho com esse público, em mais de 20,8 mil operações. O valor é 51% maior do que no primeiro semestre do ano anterior.
 
O Crediamigo do Banco do Nordeste mantém-se como o maior programa de microcrédito produtivo orientado e urbano da América do Sul. Foram aplicados R$ 4,77 bilhões no semestre, volume 11% superior ao do mesmo período do ano passado, distribuído em mais de 2,1 milhões de operações. Já no microcrédito rural, o programa Agroamigo destinou, até junho, R$ 1,1 bilhão a produtores que contrataram mais de 219 mil operações.


Publicidade