Publicidade

Estado de Minas

Mamão é vendido mais caro do que carne em BH

Preço do quilo da fruta alcançou R$ 21,98 na capital mineira, superando valor cobrado por cortes de boi, porco e pelo frango. Comércio acusa queda de oferta, com tempo frio


postado em 27/07/2019 07:30 / atualizado em 27/07/2019 07:55

Preços nos sacolões refletiu, segundo produtores e comerciantes, seca e clima nas lavouras (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press )
Preços nos sacolões refletiu, segundo produtores e comerciantes, seca e clima nas lavouras (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press )
 
 
O tempo frio e as chuvas excessivas em algumas regiões do Brasil fizeram com que o valor do mamão havaí batesse recorde nesse mês nos sacolões de Belo Horizonte. Com alta de até 40% entre junho e julho, em algumas prateleiras o preço da fruta chegou a R$ 21,98 nesta semana em estabelecimentos da Região Centro-Sul da capital. Assustado, o consumidor paga mais caro pelo quilo da fruta do que por vários tipos de carnes. O custo alto do mamão havaí faz com que lojistas deixem de comprar o produto e clientes fiquem com poucas opções de compra do mamão formosa ou da variedade comum.

Preços encontrados pela reportagem do Estado de Minas variaram de R$ 12,99 a R$ 21,98 pelo quilo do mamão havaí desde a segunda-feira. Ao preço máximo cotado na terça-feira, o consumidor teria levado para casa um quilo de chã de fora oferecido a R$ 20,99, segundo levantamento feito pelo site de pesquisas Mercado Mineiro na segunda-feira. A mesma pesquisa encontrou o quilo do frango resfriado a R$ 7,49 e do lombinho de porco a R$ 13,99.

Ao terminar de pagar as compras no caixa de um sacolão no hipercentro de BH, o instrutor de autoescola Jair Alves, de 70 anos, reclama do preço alto do mamão. Com dois mamões na sacola, ele conta que desde o início do mês percebe o aumento do preço da fruta, mas que, por ser considerado imprescindível na mesa de sua casa, o jeito foi colocar a mão no bolso.

“Esse mamão está mais caro do que filé filé-mignon, nunca vi isso”, brinca Jair Alves com o caixa do sacolão. “Já há algumas semanas em que o preço subiu bastante. Tenho que comprar porque é uma fruta essencial lá em casa. Mas o preço está salgado, viu”, conta.

O gerente do sacolão Varejão da Fartura, Marcelo de Castro, explica que os produtores têm reclamado da colheita ruim neste ano, o que fez com que o valor do quilo do mamão batesse recorde. “Ouvimos dos produtores que, com o frio deste ano, muitas frutas não se desenvolveram. Isso ocorre em toda a época do frio, mas, neste ano, a situação foi muito pior. Em alguns anos, o quilo chegou a R$ 10 nas prateleiras, e este ano chegou a R$ 14 pela primeira vez”, explica Castro.

O preço alto provocou queda de vendas do mamão havaí de cerca de 70% de acordo com o vendedor e levou muitos clientes a buscar a variedade formoso, mais barata. “Ainda assim, muitas pessoas procuram pelo havaí. Como é uma fruta muito recomendada por médicos para a alimentação saudável de neném e para crianças as pessoas continuam atrás do mamão havaí”, diz Marcelo de Castro. Ele estima que até o fim do ano o preço volte para a normalidade, em média R$ 5,98 o quilo.

O gerente Marcelo de Castro diz que as vendas caíram até 70%, deixando clientes insatisfeitos(foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
O gerente Marcelo de Castro diz que as vendas caíram até 70%, deixando clientes insatisfeitos (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)


Desequilíbrio geral 

Em um sacolão da região Leste da capital, o mamão havaí sumiu das prateleiras nas últimas semanas. “Optamos por não comprar mais o havaí por causa do alto preço. Alguns clientes levam o mamão formosa no lugar e outros perguntam pelo havaí. A fruta ficou muito cara muito rapidamente e não estava valendo a pena para a venda”, explica a gerente Karem de Souza Pereira.

De acordo com relatório do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Universidade de São Paulo, o preço do mamão havaí atingiu os maiores valores desde que a série histórica da pesquisa sobre a variação de preços começou, em 2001. Entre os motivos, estão a falta de chuvas em janeiro e fevereiro na região norte do Espírito Santo e no sul da Bahia que levaram ao abortamento da florada. Já na Ceará e no Rio Grande do Norte, produtores sofreram com o excesso de chuvas entre março e abril. Para completar o quadro ruim do preço do mamão, as noites mais frias nas últimas semanas desaceleraram o processo de maturação da fruta.

No entreposto da Ceasaminas, na Grande BH, o preço do quilo do mamão no atacado passou de R$ 5,60 no fim do mês passado e chegou a custar R$ 8,10 na semana passada. Nesta semana, o preço do quilo da fruta caiu um pouco,  para R$ 7,50.


COMPARE
» Mamão Havaí
Preços do quilo (pesquisa feita pelo EM na terça e quinta-feira na Zonas Centro-Sul e Oeste de BH)
R$ 12,99 a R$ 21,98

» Carnes
Preços (médios) do quilo (pesquisa do site Mercado Mineiro de segunda-feira em BH)

Chã de fora – R$ 20,99

Lombinho – R$ 13,99

Frango resfriado – R$ 7,49 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade