Publicidade

Estado de Minas

Serviços on-line do INSS facilitam a vida do cidadão

Atendimento via internet visa reduzir filas e responder às demandas, como calcular tempo para a aposentadoria


postado em 09/06/2019 06:00 / atualizado em 09/06/2019 09:20

Um dos objetivos é promover maior conforto e comodidade aos usuários (foto: Honório Moreira/OIMP/D.A Press - 1/10/15)
Um dos objetivos é promover maior conforto e comodidade aos usuários (foto: Honório Moreira/OIMP/D.A Press - 1/10/15)

A internet tem se tornado cada vez mais uma aliada do cidadão, e também do governo, ao ajudar a reduzir filas em postos de atendimentos públicos. Hoje, é possível agendar pela rede o pedido de aposentadoria sem precisar ir a uma agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Algumas solicitações e o acompanhamento de serviços relacionados à Previdência Social podem ser feitos on-line, no site do órgão.

Além de agilizar o atendimento, o serviço é uma ferramenta para que as pessoas possam acompanhar a evolução da situação previdenciária, como, por exemplo, checar os anos acumulados de contribuição e simular o tempo que falta para a aposentadoria, entre outras informações. O recurso pode ser um importante suporte de planejamento do cidadão, principalmente agora, quando o Congresso Nacional debate uma proposta de reforma do modelo previdenciário. Mas na avaliação de usuários, os serviços ainda precisam ser aperfeiçoados, e não são tão eficientes para idosos, justamente o público mais interessado, mas que, muitas vezes, não tem acesso ou facilidade com a internet.

Por meio do programa Meu INSS, disponível no site do instituto, ou pelo aplicativo para smartphones, os beneficiários podem solicitar aposentadoria e salário-maternidade, calcular o tempo de contribuição e conseguir empréstimos – tudo pela internet, sem precisar sair de casa. Até o fim deste mês, todos os serviços do órgão serão feitos on-line, o que representa mais 90 processos que serão digitalizados. Para Clóvis Castro Júnior, diretor de atendimento do INSS, permitir que as pessoas possam fazer requerimentos sem precisar ir a uma agência é uma “pequena revolução”.

Além da economia de tempo e dinheiro, para os cidadãos e para o governo, a digitalização dos serviços amplia a capilaridade do INSS, que, pelo meio digital, consegue chegar a locais onde não há estrutura. Hoje, três em cada quatro cidades brasileiras não têm agências da autarquia. Dos 5,5 mil municípios do país, 1,4 mil contam com atendimento presencial espalhados em 1,7 mil agências. O comum é que, caso precisem de atendimento, os moradores dos outros 4,1 mil municípios recorram a unidades localizadas em outros lugares.

Desde 2018, entretanto, eles podem usar a internet. “Antes, todos que queriam receber os serviços precisavam agendar e se deslocar para outro município para fazer o requerimento. Agora, estamos economizando as despesas”, explicou Castro Júnior. Um dos objetivos do atendimento on-line é facilitar a vida dos moradores dos municípios sem agência.

COMO FAZER

Para ter acesso à plataforma on-line do INSS, é preciso se cadastrar no site do órgão, tendo em mãos o número do CPF, nome completo, data e local de nascimento e nome da mãe. Registrado, o usuário terá acesso a uma senha provisória, com a qual conseguirá fazer o login. Alguns serviços, como agendamento para dar entrada em benefícios e marcação de perícia médica, não precisam de senha. As dúvidas podem ser resolvidas pelo telefone 135.

Em 14 de maio, foram lançados mais cinco processos, como cópia, recurso e revisão de benefícios. E, até o final de junho, o aplicativo Meu INSS será atualizado para se tornar mais simples e intuitivo ao usuário. “Relançaremos o aplicativo, que terá informações mais úteis e todos os serviços disponíveis”, adianta o diretor do INSS.

Além disso, até o fim do mês, o atendimento telefônico do número 135 será automatizado. Os usuários poderão agendar atendimento presencial por meio de serviços da Unidade de Resposta Audível (URA), uma espécie de robô que atende o telefone e direciona o usuário. “O cidadão não precisará esperar na fila para falar com atendentes. A informação será on-line”, destaca Castro Júnior.

* Estagiárias sob a supervisão da subeditora Cláudia Dianni

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade