Publicidade

Estado de Minas

Pressão funciona e GM anuncia investimentos

Depois de ameaçar sair do país, a GM anunciou um novo plano de investimentos de R$ 10 bilhões até 2024


postado em 20/03/2019 06:00 / atualizado em 20/03/2019 08:37

No Brasil, a pressão quase sempre funciona – para o bem ou para o mal. Pelo menos é isso o que ficou provado no caso General Motors, que ontem ganhou novos desdobramentos. Depois de ameaçar sair do país, fechar fábricas e demitir milhares de funcionários, a montadora anunciou um novo plano de investimentos de R$ 10 bilhões até 2024. Os aportes serão feitos nas fábricas de São Caetano do Sul (D) e São José dos Campos, em São Paulo. Segundo a empresa, a iniciativa tem potencial para gerar mil empregos diretos e indiretos, além de preservar as vagas que já existem. Em contrapartida – e é aí que fica evidente a eficácia da pressão exercida pela GM –, a empresa participará do programa de incentivos fiscais do governo paulista, que prevê a redução do ICMS. De todo modo, a notícia é bastante positiva. A indústria automobilística representa mais de 20% do PIB industrial e emprega 1,3 milhão de pessoas no país.

Venezuela 1: Novas sanções da Casa Branca


Em meio à crise econômica, política e social, a Venezuela está prestes a enfrentar mais um desafio. A Casa Branca e o tesouro dos Estados Unidos discutem a aplicação de novas sanções financeiras contra o país, que assiste à encarniçada disputa entre o ditador Nicolás Maduro e Juan Guaidó, autoproclamado presidente e líder da Assembleia Nacional. O governo Trump pode vetar os negócios entre cidadãos americanos e empresas que reconhecem Maduro como presidente da Venezuela.

Venezuela 2: Visa e Mastercard sem funcionar?
Se a medida defendida pelo presidente Donald Trump passar, toda a indústria de pagamentos da Venezuela, dominada por bandeiras americanas como Visa e Mastercard, seria atingida. Ou seja: os cartões deixariam de funcionar no país. Os americanos já impuseram sanções desse tipo no Irã, Síria e Coreia do Norte. Além das empresas de pagamentos, a sanção afetaria multinacionais que atuam em solo venezuelano, como General Electric, Cargill e American Airlines.

Na matemática, escolas públicas e privadas empatam
A qualidade do ensino nas escolas particulares é superior à das instituições públicas, certo? Não é bem assim. Os alunos das duas redes tiveram praticamente o mesmo desempenho em matemática durante o ano letivo de 2018. É isso o que mostra um levantamento da plataforma Matific, sistema de jogos matemáticos utilizado por 100 mil estudantes de 450 colégios brasileiros. As notas acima da média ficaram em 74% de acertos (escolas públicas) e 77% (privadas).

"Quando eu tinha 30 anos, não achava que pessoas na faixa dos 60 anos fossem inteligentes ou se divertissem muito. Agora, eu tive uma surpresa. Pergunte-me em 20 anos e eu vou dizer o quão inteligentes são as pessoas de 80 anos”
. Bill Gates, 63 anos, fundador da Microsoft

RAPIDINHAS

» A empresa brasileira de controle de ponto Oitchau iniciará sua expansão internacional nesta semana, começando pela Espanha. A internacionalização será comandada por Lonny Szneiberg, fundador do Investing.com, um dos três maiores portais financeiros do mundo, com operações em 30 países. “Somos uma empresa nacional sonhando internacionalmente”, diz Szneiberg.

» E por falar em internacionalização: a Breton, tradicional marca de mobiliário de luxo, vai ampliar sua presença na América Latina. A companhia acaba de inaugurar um espaço no Panamá, na América Central, em parceria com a empresa local Oskal. Com 1,2 mil metros quadrados, a loja está localizada em uma das avenidas mais importantes da capital panamenha. A empresa espera faturar US$ 4 milhões (cerca de R$ 15 milhões) ainda neste ano e, com a investida, abrir as portas para outros países da América Central e do Sul, além dos Estados Unidos. Também em 2019 está prevista uma nova unidade em Santo Domingo, na República Dominicana.

» Uma das maiores redes hoteleiras do Brasil, a Blue Tree Hotels passou ilesa pela crise dos últimos anos. Em 2018, o lucro operacional do grupo cresceu 24,5% na comparação com o período anterior. Em receita líquida, o resultado de 2018 foi 8,6% superior ao de 2017.

R$ 250 milhões é quanto o OLX Brasil vai investir em 2019, um aumento de 25% sobre 2018. Segundo o site de classificados, o valor será destinado principalmente para a modernização da plataforma


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade