Publicidade

Estado de Minas

Bicicletas pegam carona na alta do mercado de motos

Movimento crescente pela busca de hábitos mais saudáveis é um dos fatores que explicam expansão de 16,5% na produção de bicicletas


postado em 11/01/2019 06:00 / atualizado em 11/01/2019 07:53

Para a Abraciclo, ampliação de ciclofaixas nas grandes cidades brasileiras também contribuiu para crescimento nas vendas(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
Para a Abraciclo, ampliação de ciclofaixas nas grandes cidades brasileiras também contribuiu para crescimento nas vendas (foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)

Além dos fatores de custo que turbinaram o mercado de motos, somado a um movimento crescente pela busca de hábitos de vida mais saudáveis, a produção das fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus, de janeiro a novembro de 2018, alcançou 751.784 unidades, o que significa uma expansão 16,5% sobre o número contabilizado no mesmo período de 2017, quando foram montadas 645.484 unidades.


Os dados da Abraciclo mostram que as fabricantes revisaram para cima as projeções para o fechamento do ano. A expectativa agora é de produção total de 779 mil unidades em 2018, representando um aumento de 17% na comparação com 2017 (667.363 unidades). A previsão inicial era atingir 765 mil unidades, número que seria uma elevação de 15%.

Para o vice-presidente do segmento de Bicicletas da Abraciclo, Cyro Gazola, que também é presidente da Caloi, depois de quatro anos descendo a ladeira a indústria demonstrou uma retomada nos negócios, embalada pela maior oferta de produtos, preços mais competitivos e expansão da mobilidade urbana. O que ajudou muito foi a ampliação das ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas nas grandes cidades”, afirma.

Outra razão apontada para a aceleração das vendas das bicicletas é a redução do índice de inadimplência associada ao aumento da oferta de crédito ao consumidor. Além de amplificar as expectativas para o encerramento de 2018, a entidade também está otimista para 2019. “Acreditamos que haverá crescimento de 10% na produção de 2019, devendo chegar a 857 mil unidades, sendo 78 mil bicicletas a mais do que as 779 mil de 2018”, diz Gazola.

De acordo com o executivo, a expectativa está baseada nas mudanças e na implantação de novas medidas na economia que devem surgir com o novo governo, além da continuidade dos lançamentos de bicicletas de maior valor agregado pelas fabricantes da Zona Franca de Manaus.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade