Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Indicador de preço de alimentos da Ceagesp sobe 3% em novembro


postado em 05/12/2018 11:14

O Índice de preços da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) fechou o mês de novembro com alta de 3% em relação ao mês de outubro. O excesso de chuvas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste atingiu culturas importantes, prejudicando a qualidade e ocasionando a redução dos volumes ofertados.

Conforme comunicado da companhia, o período de chuvas veio antes do esperado e, com a elevação das temperaturas, espera-se redução do volume ofertado, perda de qualidade e elevação dos preços, principalmente de produtos mais sensíveis. "Em dezembro, com a demanda aquecida, os maiores impactos deverão ocorrer no setor de Frutas", diz a empresa.

Em novembro, o setor de frutas apresentou alta de 3,43%. As principais elevações ocorreram com os preços da carambola (68,9%), do abacate margarida (45,9%), do maracujá azedo (41,8%), do caju (33,1%) e do maracujá doce (31,4%). As principais quedas ocorreram com os preços do limão taiti (-12,9%), da banana nanica climatizada (-12,3%), da acerola fresca (-9,8%), da banana prata (-8,4%) e do melão amarelo (-7,8%).

O setor de legumes registrou queda de -1,17%. As principais baixas ocorreram com os preços do pepino caipira (-36,9%), do pepino comum (-31,1%), do pepino japonês (-28,3%), da vagem macarrão curta (-22,4%) e da batata doce rosada (-14,2%). As principais altas ocorreram com os preços da ervilha torta (32,8%), do inhame (24,5%), do pimentão amarelo (22,4%) do tomate caqui (14,4%) e do tomate cereja (14,3%).

O setor de verduras cresceu 12,54%. As principais altas ocorreram com os preços do nabo (49,9%), da salsa (49,9%), do repolho liso (29,6%), da catalonha (28%) e do agrião hidropônico (27,4%). As quedas ficaram por conta do milho verde (-6,5%), da rúcula (-5,2%), do louro (-3,9%), do orégano (-3,4%) e do moyashi (-2,3%).

O setor de diversos cresceu 6,78%. As principais altas ficaram por conta da batata beneficiada lisa (86,1%), da cebola nacional (33,9%), da batata comum (9,1%) e do amendoim com casca (6,6%). As quedas ocorreram nos preços do alho estrangeiro chinês (-11,3%), da canjica (-4,7%) e do coco seco (-1,5%).

O setor de pescados registrou elevação de 0,52%. As principais altas foram registradas nos preços da lula congelada (88,9%), da sardinha fresca (26,7%), do camarão ferro (9,1%), do curimbatá (8,2%) e da tilápia (3,8%). As principais quedas ocorreram com a anchova (-18,8%), do robalo (-10%), do polvo (-9,5%), do atum (-9,3%) e com o namorado (-8,8%).

Conforme a Ceagesp, de janeiro a novembro o volume comercializado no entreposto de São Paulo totalizou 2.788.596 toneladas ante 3.010.282 negociadas no mesmo período de 2017. Em novembro de 2018, o volume comercializado registrou queda de 5,57% em relação ao mesmo período de 2017. Foram comercializadas 265.298 toneladas em 2018 contra 280.952 em novembro de 2017.

O índice Ceagesp é o primeiro balizador de preços de alimentos frescos no mercado, atacadista. Divulgados mensalmente, os 150 itens da cesta foram escolhidos pela importância dentro de cada setor e ponderados de acordo com a sua representatividade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade