Publicidade

Estado de Minas

Confiança do empresariado mineiro cai por causa de cenário eleitoral, diz Fiemg

''O Brasil parou, é a realidade'', afirmou o presidente da entidade Flávio Roscoe. É o quarto mês seguido que o índice registra desconfiança do setor empresarial em relação ao futuro


postado em 20/09/2018 16:58

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) caiu em 1,1 ponto percentual em setembro, quando comparado ao último levantamento, divulgado em agosto. O valor é de 49,6 pontos – o que quer dizer que há falta de confiança do empresário, visto que é isso que valores abaixo de 50 indicam. 
 
Em entrevista coletiva, o presidente da Fiemg Flávio Roscoe atribuiu as quedas ao cenário de incerteza eleitoral. “É especialmente triste porque, em teoria, estaríamos no melhor momento do ano”, afirma. “O Brasil parou, é a realidade”, declarou. 
 
A Fiemg afirma que o empresariado, apesar de ter se mantido confiante entre setembro de 2017 e maio deste ano, registra quatro meses consecutivos de ICEI abaixo de 50. O índice, de acordo com a federação, é “resultado da ponderação dos índices de condições atuais e de expectativas” do empresariado e varia de 0 a 100 pontos. 
 
A Fiemg divulgou, também, que o indicador de condições atuais de negócios decresceu em 1 ponto em relação a agosto e está em 45,7. O indicador de expectativas do setor industrial para os próximos meses também recuou, em 0,9 ponto, e se encontra em 52,3. Este valor é 4,5 menor do que o índice para o mesmo período em 2017.
 
Questionado se há um grau de especulação do mercado em relação à piora nos números de confiança do empresariado, Roscoe disse que “especulação faz parte da economia”, mas que “existe mais um cenário de incerteza do que de especulação”.
 
*Estagiário sob supervisão do editor Renato Scapolatempore 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade