Publicidade

Estado de Minas

Os supersalários dos presidentes

Nos Estados Unidos, o número 1 de uma empresa fatura o equivalente a 271 vezes o salário de um empregado típico


postado em 13/09/2018 06:00 / atualizado em 13/09/2018 11:24

(foto: Arte/Soraia Piva)
(foto: Arte/Soraia Piva)

Hock Tan, presidente da empresa americana de semicondutores Broadcom, recebeu no ano passado US$ 103,2 milhões de salário, o que o coloca na posição de CEO mais bem pago do mundo. Frank Bisignano, líder da companhia de serviços financeiros First Data, embolsou US$ 102,2 milhões e aparece na segunda posição do ranking. Jamais os chefes das grandes corporações ganharam tanto dinheiro. Nos Estados Unidos, o número 1 de uma empresa fatura o equivalente a 271 vezes o salário de um empregado típico, segundo dados da Economic Policy Institute. Em 1989, essa relação estava em 59 vezes. Em 1965, 20. De acordo com a ONG americana As You Sow, que se dedica a estudar o assunto, salários altos demais acabam por desestabilizar a própria companhia, na medida em que os outros funcionários se sentem desestimulados diante das brutais diferenças de remuneração. O tema começa a ser debatido com seriedade no mundo corporativo. Tudo indica que a era dos supersalários está com os dias contados.

As vítimas da crise na Argentina

O iminente colapso da economia argentina começa a fazer vítimas. O Grupo Priority, dono das marcas de calçados West Coast e Cravo&Canela, fechou a fábrica de Sobradinho, no Rio Grande do Sul, na segunda-feira. De acordo com o executivo Fernando Koch, gerente de exportação da empresa, 30% dos embarques da marca iam para a Argentina, que reduziu drasticamente as encomendas. O mercado externo responde por 40% do faturamento total do grupo.

J&F não entende postura da Paper Excellence
A J&F não entende o que está levando os chineses da Asia Pulp & Paper e da Paper Excellence a optarem pelo caminho da briga no caso da Eldorado. A família Widjaja, dona da APP e da PE, teve 12 meses para fechar o negócio, mas não conseguiu liberar as garantias da J&F de R$ 8 bilhões durante todo esse tempo – o que era uma exigência prevista em contrato. A J&F diz que, mesmo assim, os chineses fizeram um grande negócio, já que a Eldorado vale mais hoje do que um ano atrás.

Suecos na recuperação do Museu Nacional


A Agência Sueca para o Desenvolvimento irá propor às autoridades brasileiras um mix de doação e empréstimo para tirar das cinzas o Museu Nacional, destruído no incêndio. Cerca de R$ 12 milhões serão destinados à reforma da estrutura e outros R$ 3,8 milhões para aquisição de obras para recomposição do acervo. Nesta semana, além do projeto para o museu brasileiro, a agência aprovou US$ 21 milhões para um programa de limpeza de mares, rios e oceanos, especialmente na África.

R$ 6


é o preço do litro da gasolina em alguns postos do país. Segundo as empresas, a alta reflete a desvalorização cambial e as cotações internacionais dos combustíveis. Antes da greve dos caminhoneiros, o litro era vendido a R$ 4.


"Sabemos que se o presidente Trump continuar com suas tarifas punitivas sobre os carros, como ameaçou, será devastador para a indústria automobilística canadense, mas também para a indústria americana, porque isso poderia causar demissões em massa”


. Justin Trudeau,

primeiro-ministro do Canadá

RAPIDINHAS

» Algumas fintechs estão mesmo dispostas a brigar com os grandes bancos brasileiros. É o caso da recém-lançada IOUU, que desenvolveu uma plataforma que propõe alternativas de crédito para pequenas empresas. “O crédito está concentrado na mão dos grandes bancos, que acabam não olhando para o perfil que atingimos”, diz Bruno Sayão, CEO do IOUU.
 
» Um dos jogos mais bem-sucedidos da história, o Pokémon Go andava sumido, mas resolveu voltar com força. Segundo a Niantic, empresa que o criou, o número de usuários que brincaram no aplicativo cresceu 35% entre maio e agosto de 2018. Segundo a empresa, isso se deve às funções sociais introduzidas na nova versão.
 
» A rede atacadista Roldão, uma das maiores do país, vai entrar no segmento de maquininhas de cartão. Segundo o presidente Ricardo Roldão, a empresa está em tratativas com dois parceiros para o desenvolvimento do produto. Há alguns dias, a rede Assaí, do Grupo Pão de Açúcar, passou a vender os equipamentos a pequenos empreendedores.
 
» O Grupo Carrefour aposta na integração dos canais de vendas físicas e on-line. Nesta semana, inaugurou o segundo ponto do serviço “Retire de Carro”, uma espécie de drive-thru. Funciona assim: o cliente compra via e-commerce e retira a mercadoria na loja física, em horário agendado e sem pegar fila.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade