Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Draghi vê sinais positivos, mas diz que batalha contra inflação não está ganha


postado em 26/07/2018 11:03

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou nesta quinta-feira que a economia da zona do euro segue "em ritmo forte", o que dá aos dirigentes a confiança de que a meta de quase 2% de inflação será atingida. Ele reafirmou, porém, que o BCE está pronto a realizar ajustes em sua política monetária, se preciso, para garantir que essa meta seja cumprida.

Draghi argumentou, em entrevista coletiva após o BCE manter a política monetária, que houve um aumento recente na incerteza, relacionado a fatores globais, notadamente o risco de protecionismo. "Os riscos para o crescimento ainda estão em geral equilibrados", comentou, ressaltando que "ainda é muito cedo para cantar vitória" na questão do cumprimento da meta de inflação. Ele disse que a inflação subjacente deve ganhar força mais para o fim do ano e adiante, mas que um grau amplo de relaxamento monetário é necessário, neste momento.

O presidente do BCE apontou ainda que os indicadores disponíveis são consistentes com um cenário de "crescimento sólido e de base ampla", com o investimento das empresas apoiado pela demanda sólida e pela lucratividade. "Os dados apontam para crescimento em linha com projeções de nossa equipe."

Um repórter perguntou a Draghi sobre críticas recentes do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que a UE manteria a moeda artificialmente desvalorizada. "A taxa cambial não é uma meta de nossa política monetária", lembrou o dirigente, comentando ainda que o euro tem se valorizado "consideravelmente" no último ano e meio, mesmo no atual ambiente de política monetária relaxada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade